Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Frederico Morais vai à água pela centésima vez no regresso do circuito mundial de surf

Cumprida a quarentena exigida pela organização, o surfista português vai regressar à competição em Newcastle, na Austrália. Há 30 anos que a cidade não recebia o WCT. Para Frederico Morais é a centésima bateria entre os melhores do mundo

Tribuna Expresso

Damien Poullenot

Partilhar

Depois de uma interminável paragem devido à pandemia Covid-19, o circuito mundial de surf está de volta. Cancelada a prova de Sunset Beach, no Havai, em janeiro, e Santa Cruz, que devia ter sido em fevereiro, adiada, as águas voltam a mexer em Newcastle, na Austrália, que não recebia o mundial há 30 anos.

A segunda etapa do WCT 2021 terá um período de espera até 11 de abril. É o primeiro de quatro eventos a acontecer na Austrália, nos meses de abril e maio.

Frederico Morais cumpriu a quarentena de 14 dias exigida aos atletas. Isolado num hotel, o surfista de 29 anos esperou pelo regresso ao mar, naquela que será a sua 100ª bateria entre os melhores do mundo. Esta é a terceira temporada do português no WCT, a tempo inteiro.

Morais entra assim num grupo restrito, do qual faz parte outro português, já retirado. Tiago Pires, com 183 heats, esteve seis anos na elite do surf mundial.