Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Mourinho: O Tottenham faz contas e conclui que talvez não tenha de pagar tanto para despedir o treinador

Cláusulas referentes à não-qualificação para as competições europeias poderão ajudar os Spurs a livrarem-se de Mourinho mais facilmente do que pensavam. Em Londres, fazem-se as contas depois do empate frente ao Newcastle e isso quererá dizer que o lugar do português está por um fio

Tribuna Expresso

Tottenham Hotspur FC

Partilhar

Pelas contas do “Daily Mail”, o Tottenham pode não ter de pagar a tão falada quantia de 30 milhões de libras a José Mourinho, em caso de despedimento. Isto se o clube usar o argumento da não-qualificação para as competições europeias. Neste momento, os Spurs estão a lutar por um lugar europeu.

O técnico português viu a pressão aumentar depois do empate a 2 com o Newcastle, que luta para não descer. Se não quiser passar pela humilhação de ser despedido – o que tem acontecido mais frequentemente na carreira do Special One – Mourinho terá de salvar uma época que, a certa altura, foi bastante promissora.

Na Premier League, o clube de Londres tem vindo a descer na classificação. Por outro lado, foi eliminado da Taça de Inglaterra e da Liga dos Campeões. Mourinho tem dois anos de contrato com o Tottenham, cada um deles a valer 15 milhões de libras.

O “Daily Mail” não cita as fontes, mas diz que Mourinho poderá ter direito a bastante menos do que foi inicialmente anunciado – os 30 milhões – se os Spurs falharem a qualificação para as provas europeias devido à posição na tabela de classificação da Premier League.

Neste momento, o clube do Norte de Londres está entre os seis primeiros e mantêm uma possibilidade realista de se qualificarem para a Liga Europa ou mesmo para a Liga dos Campeões. No entanto, uma queda na tabela terá impacto na compensação devida a Mourinho, caso o clube decida ver-se livre do treinador. De qualquer forma, o jornal inglês diz que o setubalense poderá encaixar uma quantia generosa se perder o emprego, embora fique certamente abaixo dos 30 milhões.