Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

João Palhinha: "Não há grupos no nosso balneário. Isso reflete-se em campo"

O médio do Sporting vive um grande momento, aos 25 anos. Para além da chegada à seleção nacional, Palhinha prepara-se para ser campeão pelos Leões. Segundo o jogador, o segredo está no balneário: "Brincamos muito, damo-nos muito bem e isso nota-se em campo".

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

João Palhinha é possivelmente o homem do momento no Sporting, apesar de haver muitos candidatos a essa distinção, começando desde logo pelo treinador, Rúben Amorim. Mas o médio internacional português passou de emprestado a dispensável até ser indiscutível no onze leonino.

No programa “ADN de Leão”, podcast oficial do clube, o jogador “abriu as portas” do balneário para falar do ambiente entre os atletas que compõem o plantel do Sporting: “Brincamos muito, damo-nos muito bem e isso nota-se dentro de campo. Os mais jovens são miúdos humildes, profissionais, não são daqueles que chegam à equipa principal e têm vícios”.

João Palhinha revelou um pormenor preponderante para a união do plantel do Sporting: “Não há grupos, como acontece em muitos balneários. Esse facto reflete-se em campo,” disse o lisboeta.

Faltava ainda falar de uma das mais recentes conquistas do jogador de 25 anos: a chamada por Fernando Santos à seleção principal. “Não é fácil chegar lá. Temos uma grande seleção em todas as posições e somos campeões europeus. É um motivo de orgulho.”

Palhinha contou também como soube que tinha sido chamado para os mais recentes encontros da seleção: “Soube que tinha sido convocado pelo nosso adjunto, o Carlos, no treino. Tinha a esperança de que fosse possível ser convocado. Não estava era mentalizado. (…) É justo por tudo aquilo que passei. Foi preciso lutar muito. Estou muito orgulhoso. É o patamar mais alto”.