Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Solskjaer ficou furioso com o golo anulado a Cavani e Mourinho respondeu: "Son tem sorte por ter um pai que é melhor pessoa do que Ole"

Cavani marcou um golo que acabou por ser anulado pelo VAR devido a uma falta sobre Son. Os Red Devils venceram por 1-3 mas Solskjaer ficou furioso e deixou duras críticas ao sul-coreano, acusando-o de simulação. Mourinho respondeu como um pai de família

Tribuna Expresso

Matthew Peters

Partilhar

Não é todos os dias que se vê Solskjaer zangado. O norueguês de ar simpático estava furioso no fim do jogo de ontem entre o Manchester United e o Tottenham, em Londres, que os Red Devils até venceram por 1-3.

Em causa está um lance, aos 35 minutos de jogo, protagonizado por Son, do lado dos Spurs, e McTominay e Cavani, pelo Manchester United. O uruguaio que esteve na órbita do Benfica marcou um golo posteriormente anulado pelo VAR. Imediatamente antes do remate de Cavani, McTominay terá feito falta sobre Son, com o coreano a ficar deitado no relvado.

Segundo Ole Gunnar Solskjaer, “foi um excelente golo que foi anulado”. “Infelizmente o árbitro decidiu que não estávamos a jogar futebol. Ou então foi o VAR que decidiu,” acrescentou o norueguês, que prosseguiu dizendo: “Fico chocado que tenha sido marcada aquela falta.

Solskjaer deixou duras críticas a Son, sugerindo que o jogador do Tottenham simulou a falta. “Se fosse o meu filho a ficar assim estendido no chão e a precisar que os dez companheiros o fossem ajudar a levantar, ficava sem comer. É vergonhoso.”

Já José Mourinho, insatisfeito por ter perdido o jogo, também se mostrou revoltado com as palavras do treinador adversário: “Estou muito desapontado, já disse ao Ole o que penso dos comentários dele”. Pegando nas declarações de Solskjaer em relação a um jogador cujo nome, curiosamente, significa “filho” em inglês, Mourinho respondeu: “Son tem muita sorte por ter um pai que é melhor pessoa do que Ole. Penso que um pai deve sempre dar de comer aos filhos, não interessa o que façam”.