Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Ainda o "Foodgate": Manchester United cortou relações com o Tottenham e Harry Kane é a vítima

Depois de Mourinho e Solskjaer terem começado a discutir, surgiram as provocações bem-humoradas de Noah, filho do técnico norueguês. Entretanto, Harry Kane, que nada teve a ver com o incidente, viu fugir a hipótese de ser jogador do Manchester United, devido ao corte de relações entre os dois clubes

Tribuna Expresso

NEIL HALL

Partilhar

O caso começou depois da derrota do Tottenham, em casa, com o Manchester United. A princípio resumia-se a trocas de galhardetes entre o antigo treinador dos Red Devils, José Mourinho, e o homem que lhe sucedeu no cargo, Ole Gunnar Solskjaer. Este criticou Son, jogador sul-coreano dos Spurs, por ter ficado deitado no relvado, simulando uma falta. Solskjaer afirmou que, se o jogador fosse seu filho e fizesse aquilo, “ficava sem comida”. Mourinho “alimentou” a conversa acusando o norueguês de ser “mau pai”.

Entretanto, no episódio seguinte, o filho mais velho de Solskjaer veio dizer que se divertiu imenso com a conversa entre o pai e José Mourinho, garantindo que nunca lhe faltou comida. O “The Sun” trouxe agora a público mais um nome envolvido no “Foodgate”, desta feita involuntariamente: Harry Kane.

Segundo o jornal inglês, os dois treinadores prolongaram a discussão até ao túnel de acesso aos balneários. A direção do Manchester United acusa o português de querer desviar a atenção de mais uma exibição pobre da sua equipa. Os líderes do Man United chegaram ao ponto de cortar relações com o Tottenham. Quanto a Harry Kane, o goleador dos Spurs estaria a ser negociado pelos dois clubes. Com as entidades de costas voltadas, é pouco provável que a conversa continue e que Kane rume a norte.