Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

O Manchester United diz que o abuso online sobre os seus jogadores triplicou e junta-se ao boicote das redes sociais

Os Red Devils anunciaram um aumento de 350% de atitudes menos próprias para com os seus jogadores nas redes sociais. O United vai juntar-se às outras equipas do futebol inglês no boicote simbólico ao Twitter, Instagram e Facebook, a partir das três da tarde de hoje e até à meia-noite de segunda-feira

Tribuna Expresso

Pool

Partilhar

Normalmente, são comentários racistas ou homofóbicos, mas podem ser de outra índole. O clube de Old Trafford fez o seu próprio inquérito durante 17 meses, entre setembro de 2019 e fevereiro deste ano, que revelou um chocante acréscimo desses abusos.

A pesquisa conduzida pelo clube descobriu 3.300 publicações abusivas que têm como alvo os seus jogadores. Diz o relatório final que 86% desses comentários são racistas e 8% homofóbicos. Martial, Tuanzebe e Fred confirmaram ter sido provocados nos últimos meses. A maioria dos posts usa vocabulário extremamente insultuoso e também alguns emojis racistas.

O pico desta situação aconteceu em janeiro deste ano com mais de 400 publicações insultuosas. Ao mesmo tempo, a equipa que conduziu a pesquisa descobriu também um aumento nos abusos entre os próprios adeptos, que se insultam nas redes sociais.

Richard Arnold, dirigente do Manchester United disse: “Temos estado a fazer uma campanha ativa contra a discriminação através da iniciativa ‘All Red All Equal’. Apesar do nível de apoio que temos recebido para fazer este trabalho o abuso de que os nossos jogadores e adeptos são vítimas tem aumentado,” comentou Arnold, acrescentando: “Tem de ser dito que, apesar dos números chocantes, eles representam apenas 0,01% das conversas que acontecem nas redes sociais, sobre o clube e os jogadores”.

Quanto ao boicote, Richard Arnold afirmou: “Ao participarmos, nós, ao lado dos outros clubes de futebol em Inglaterra, queremos dar a conhecer o que se passa. Vai gerar debate e divulgar os níveis de abuso com que os nossos jogadores e adeptos têm de lidar”.

Entretanto, o Manchester United suspendeu seis adeptos por insultarem o jogador sul-coreano do Tottenham, Son Heung-min, nas redes sociais. O episódio ocorreu no rescaldo do jogo entre ambas as equipas, no início deste mês.