Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Old Trafford a ferro e fogo: comentador silenciado em canal americano depois de criticar os Glazer

Depois da Superliga e dos protestos dos adeptos do Manchester United à porta do seu estádio, Jon Champion, comentador, foi abruptamente posto em silêncio na ESPN. Champion criticava os donos do clube inglês, também eles americanos

Tribuna Expresso

Mike Egerton - EMPICS

Partilhar

O comentador inglês Jon Champion foi convidado pelo canal Americano ESPN, no passado domingo, para falar sobre o embate entre Manchester United e Liverpool, o clássico dos clássicos da Premier League e do futebol inglês em geral. Na impossibilidade de comentar um jogo que acabou por não acontecer, Champion falou dos americanos da família Glazer, que detém o clube de Old Trafford, e o inesperado aconteceu. O comentador foi silenciado de forma repentina e, em vez dele, os espetadores viram um anúncio da MLS (liga americana de futebol).

Coincidência ou não, a verdade é que o jogo não se realizou devido aos protestos de centenas de adeptos do Manchester United às portas de Old Trafford, tendo alguns conseguido mesmo entrar no estádio e passear-se pelo relvado e pelas bancadas do mítico “teatro dos sonhos”. Aparentemente, os adeptos protestavam contra os donos do clube. Os Glazers nunca foram muito apreciados e a ligação à Superliga Europeia pode ter sido a gota que fez transbordar o copo.

No momento em que foi silenciado, Champion conversava em estúdio com o antigo internacional americano Taylor Twellman. “Tudo o que fazemos no desporto é franchisado,” dizia Twellman sobre o que acontece no seu país. Champion interrompeu-o para dizer: “Por favo menciones essa palavra, odeio essa palavra. Porque ela não tem lugar no nosso léxico quando falamos de clubes desportivos europeus. São equipas com coração”.

O comentador convidado explicava a situação com os Glazer e o facto de nunca estarem presentes e não mostrarem qualquer interesse pelo clube quando a emissão passou para o anúncio de um jogo da MLS. Entretanto, a ESPN veio dizer que a interrupção súbita se deveu a “dificuldades técnicas”.