Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Vettel sem pontos e debaixo de fogo: "Sebastian sempre foi mais chorão do que Alonso"

O piloto da Aston Martin, tetracampeão do mundo de Fórmula 1, não tem ainda qualquer ponto na presente temporada. No fim de cada corrida, começa a ser tradição comentar a atuação do austríaco. Em Portugal, Vettel ficou em 17º lugar. Aproxima-se a prova espanhola e fazem-se comparações com outro campeão do mundo em decadência, Fernando Alonso

Tribuna Expresso

picture alliance

Partilhar

As críticas a Sebastian Vettel não param. No fim de cada grande prémio, tornou-se comum fazer uma análise ao desempenho do alemão, tetracampeão do mundo. Esta temporada, a primeira pela Aston Martin, Vettel ainda não somou qualquer ponto. No Grande Prémio de Portugal, disputado no passado fim de semana, o alemão foi 17º.

Os comentários menos simpáticos vêm maioritariamente do seu país, habituado ao domínio de Michael Schumacher no passado ou da Mercedes no presente. Maximilian Götz protagonizou várias lutas em pista com Vettel, nas modalidades inferiores. Atualmente conduz um Mercedes no DTM. “Sebastian sempre foi um pouco mais chorão do que Alonso,” diz Götz, comparando o compatriota com o veterano espanhol. “É uma questão de caráter. Sebastian tem de adaptar-se e isso não é fácil.”

O piloto do DTM acredita que, aos 34 anos, Seb está a acusar a pressão de liderar um projeto ambicioso, no qual substituiu o mexicano Sergio Pérez, que teve bons resultados em 2020. “Sebastian é quatro vezes campeão do mundo, sabe o que quer. Esta é também a sua última oportunidade e ele sabe-o,” diz Götz.

O compatriota de Vettel diz que este não se sente cómodo no carro atual, que também tem falhado. “Sebastian sempre quis que a equipa fizesse um carro para ele mas, no final, o piloto tem sempre de se adaptar ao carro. Mudou de equipa, é tudo novo, o seu companheiro (Stroll) esteve bem no ano passado. (…) A Aston Martin foi quarta no ano passado, agora está a sofrer com as novas regras. Sebastian imaginava que seria diferente,” conclui Maximilian Götz.

  • Hamilton, quem haveria de ser?
    Fórmula 1

    Passaram 189 dias desde o primeiro Grande Prémio de Portugal, cuja história guardou um certo piloto inglês que, mais uma vez, acabou com a vitória no Autódromo Internacional do Algarve. O sete vezes campeão mundial conquistou a 97.ª vitória da carreira em Portimão, seguido por Max Verstappen e Valtteri Bottas