Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Solskjaer: “Temos de ouvir as vozes dos adeptos. É um direito de todos, mas os protestos têm de ser civilizados, pacíficos”

Na antevisão do jogo entre Manchester United e Roma, a contar para a Liga Europa, o treinador norueguês comentou o episódio do passado fim de semana. Centenas de adeptos invadiram Old Trafford em protesto contra os donos do clube. O incidente impediu que o maior clássico do futebol inglês, que opunha os Red Devils ao Liverpool, se realizasse

Tribuna Expresso

Matthew Peters

Partilhar

O Manchester United joga hoje a segunda mão das meias finais da Liga Europa. O adversário é a Roma, (ainda) de Paulo Fonseca, que perdeu o confronto em Old Trafford por 2-6 e dificilmente conseguirá dar a volta ao resultado em casa.

Dito isto, Ole Gunnar Solskjaer usou a conferência de imprensa sobre o jogo europeu para assuntos mais caseiros, como a invasão dos adeptos revoltados do Manchester United a Old Trafford, no passado domingo. Lembre-se que o protesto dirigido aos donos do clube, impediu a realização do jogo entre Man United e Liverpool.

“Quando temos polícias feridos e com cicatrizes para o resto da vida, então é caso para dizer que se foi longe de mais,” afirmou Solskjaer, que admitiu, no entanto, que as vozes dos adeptos têm de ser ouvidas: “É um direito de todos, mas os protestos têm de ser feitos de maneira civilizada, mais ainda, de maneira pacífica”.

O técnico e histórico jogador do clube de Manchester revelou também ter recebido um pedido de desculpa pessoal da parte dos donos do clube pela confusão criada em volta da Superliga Europeia. O próprio treinador chegou a ser abordado por adeptos que pretendiam ser esclarecidos sobre a controversa competição e o papel do Manchester United na sua criação.