Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Sanjoanense acusa árbitro de racismo: "Vai lá para dentro macaquinho do c..."

O jornal “Observador” noticiou a indignação do clube de São João da Madeira, que emitiu um comunicado acerca do incidente. O insulto terá sido feito num jogo da fase de acesso à Liga 3 e terá tido como vítima George Matlou, jogador da Sanjoanense

Tribuna Expresso

AD Sanjoanense

Partilhar

O clube de São João da Madeira emitiu este domingo um comunicado acusando o árbitro Nélson Cunha de racismo. O incidente terá ocorrido no jogo entre a Sanjoanense e o S. João Ver. De acordo com o comunicado, no final da partida de acesso à Liga 3, o árbitro terá sido abordado pelo jogador sul-africano George Matlou, tendo respondido que não sabia falar inglês, seguido de: “Vai lá para dentro, macaquinho do c…”.

Paulo Soares foi o delegado ao jogo da Sanjoanense e confirma os factos relatados no comunicado do clube. Ao jornal “O Jogo”, Soares disse: “No final da partida cheguei ao balneário e vi o nosso jogador George visivelmente alterado. Perguntei-lhe o que se passava e ele, em português, disse-me que tinha ido perguntar ao árbitro o porquê de ter sido expulso nos minutos finais do encontro, ao que este lhe respondeu ‘no speak english. Vai lá para dentro, macaquinho do c…’”.

George Matlou tem 22 anos e é sul-africano. Está em Portugal – e na Sanjoanense – desde 2019 e entende português. Matlou foi expulso durante a partida frente ao S. João de Ver e esperou pelo fim do jogo para pedir explicações ao árbitro. De acordo com o comunicado, foi nesse momento que Nélson Cunha o insultou.

Ao “Jornal de Notícias”, o presidente do Conselho de Arbitragem de Viana do Castelo, Fernando Costa Lima, disse que o árbitro nega ter proferido essas palavras. Nélson Cunha acusa o jogador de ter inventado a história e conta com uma testemunha ocular, comandante da GNR.