Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Coronavírus obriga Enzo Pérez a jogar lesionado e... como guarda-redes na Taça Libertadores

O antigo jogador do Benfica tem uma distensão muscular mas está disposto a sacrificar-se pelo River Plate. Com vinte casos de Covid-19 no plantel, o clube argentino terá de fazer alguns sacrifícios para apresentar 11 jogadores no jogo com o Independiente Santa Fé

Tribuna Expresso

Daniel Jayo

Partilhar

Apesar da lesão, Enzo Pérez está preparado para se sacrificar pelo River Plate e evitar que o clube entre em campo com menos um jogador do que o adversário. No duelo da Taça Libertadores com o Independiente Santa Fé, o antigo médio do Benfica vai ser guarda-redes da sua equipa, uma situação inusitada e provocada maioritariamente pelo novo coronavírus.

No plantel do River Plate existem 20 casos de Covid-19, entre os quais estão os quatro guarda-redes do plantel principal. O clube terá pedido à CONMEBOL para inscrever dois jogadores da formação mas, surpreendentemente, a confederação terá recusado.

Ontem, a imprensa argentina, citada pelo jornal “Record”, referia a possibilidade de Marcelo Gallardo, técnico do clube, ter de utilizar um jogador de campo na baliza. Uma lista de quatro candidatos foi divulgada ontem mas nenhum deles era o antigo médio do Benfica.

Já hoje foi divulgado pelo jornal “Olé” o plano de colocar na baliza o internacional argentino de 35 anos, ainda que Enzo esteja a recuperar de uma distensão muscular na coxa direita. O jogador foi testado no treino e, à partida, será ele o sacrificado.

O River Plate, para além dos casos de Covid-19, tem vários jogadores lesionados por várias razões. Javier Pinola, defesa, tem uma fratura no braço. No banco, Marcelo Gallardo não terá quaisquer suplentes à sua disposição.