Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Bolsonaro mete a mão no futebol. O presidente do Brasil não quer Tite como selecionador por este não estar alinhado com a sua visão política

Jair Bolsonaro tenta influenciar todos os setores importantes para o Brasil. Até o futebol, talvez o mais relevante para o povo brasileiro. O atual selecionador, Tite, é visto pelo presidente como de outra área política, motivo para que o controverso líder do país o queira afastar e substituir, por exemplo, por Renato Gaúcho, seu apoiante confesso

Tribuna Expresso

Bolsonaro, adepto de futebol, da cloroquina e de treinadores que não discordem dele

FOTO SEBASTIÃO MOREIRA/EPA

Partilhar

O site brasileiro “Globoesporte” anunciou a chegada do jogo de influências de Bolsonaro ao mundo do futebol. O presidente brasileiro está a fazer pressão para que o selecionador nacional seja substituído por alguém dentro da sua esfera política, área com a qual Tite não se identifica.

O controverso presidente brasileiro culpa o técnico de ser um dos principais influenciadores da situação complicada que se vive dentro da equipa nacional. Isto depois de os jogadores ameaçarem boicotar a Copa América devido à pandemia. Bolsonaro terá contactado a Confederação Brasileira de Futebol, pressionando-a para levar a cabo o que ele próprio costuma fazer aos membros do Governo sempre que discordam dele: demiti-los.

Bolsonaro quer um selecionador alinhado com as suas ideias políticas. Renato Gaúcho, que está livre e é apoiante confesso de Bolsonaro, poderá ser o escolhido. A troca poderá mesmo acontecer antes da Copa América, cuja data de início é, até ver, dia 13 de junho.