Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Tóquio 2020: Halterofilista Laurel Hubbard vai ser a primeira atleta transgénero a competir em Jogos Olímpicos

Hubbard vai integrar a equipa neozelandesa de halterofilismo. Numa declaração, a atleta de 43 anos revelou-se “grata e honrada”. Em 2018, Laurel já tinha participado nos Jogos da Commonwealth, na Austrália, competição na qual se lesionou com gravidade. Recuperada, a atleta promete honrar a chamada à comitiva da Nova Zelândia

Tribuna Expresso

Alex Pantling

Partilhar

A halterofilista neozelandesa Laurel Hubbard vai fazer história, com alguma (previsível) controvérsia, após ter sido incluída na comitiva olímpica do seu país. Laurel vai ser a primeira atleta transgénero a competir em Jogos Olímpicos.

Aos 43 anos, a atleta poderá mesmo ser uma das favoritas à conquista de uma medalha quando competir na categoria super pesos pesados, evento marcado para dia 2 de agosto. Mas a inclusão de Hubbard vai também frustrar aqueles que acreditam que ela tem uma vantagem injusta sobre as rivais, tendo passado pela puberdade masculina antes da transição, em 2012.

Hubbard venceu o campeonato do mundo em 2017 e terminou no sexto lugar na edição de 2019, depois de recuperar de uma lesão grave num braço, nos Jogos da Commonwealth, um ano antes. A atleta mostrou-se maravilhada com o facto de ter sido selecionada.

“Sinto-me grata e honrada pela gentileza e pelo apoio que me tem sido dado por tantos neozelandeses,” disse Hubbard, em comunicado. “Quando parti o meu braço nos Jogos da Commonwealth, há três anos, fui aconselhada a terminar a minha carreira. Mas o vosso apoio, o vosso encorajamento e o vosso afeto guiaram-me na escuridão,” acrescentou a atleta.

Segundo as orientações do Comité Olímpico Internacional, estabelecidas em 2015, atletas que passem do género masculino ao feminino são autorizadas a competir na categoria feminina sem que lhes seja exigida prova de terem removido os testículos, no caso de os seus níveis de testosterona ficarem abaixo das 10 nanomoléculas por litro, pelo menos nos últimos 12 meses.