Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Morata: “Estive nove horas sem dormir depois do jogo com a Polónia. Recebi ameaças, insultos. Desejaram a morte aos meus filhos"

O ponta de lança espanhol confessou que tem estado uma pilha de nervos, depois dos ataques e das ameaças a ele e à família. As mensagens que lhe tiraram o sono após um jogo incluem desejos de morte aos filhos do futebolista

Tribuna Expresso

Kiko Huesca

Partilhar

Álvaro Morata é, por esta altura, um homem preocupado com coisas bem mais importantes do que o futebol, embora haja quem não pense assim. Alvo de críticas pelas exibições no Euro 2020, Morata foi a um programa de rádio explicar o que o está a deixar fora de si e chocou os ouvintes ao admitir que ele e a família têm sido ameaçados de morte.

No programa “El Partidazo”, da emissora COPE, o avançado espanhol confessou que as ameaças lhe tiraram o sono depois do Espanha-Polónia: “Estive nove horas sem dormir. Recebi ameaças, insultos à minha família, desejaram a morte aos meus filhos”. Ainda assim, Morata diz que está bem: “Há uns anos seria diferente”.

“Talvez não tenha feito o trabalho como deveria. Percebo que me critiquem por não marcar golos mas gostava que as pessoas se pusessem no lugar de quem recebe ameaças, a quem dizem desejar a morte dos filhos. De cada vez que chego ao quarto, ponho o telemóvel longe de mim. O que me custa é que o digam à minha mulher, aos meus filhos,” confessou Álvaro Morata.

“As pessoas criticam-me com base no que ouvem, mas eu dou tudo. Dou a vida pela seleção. (…) Gostava que as pessoas se pusessem mais no meu lugar,” desabafou. O avançado assume a culpa por ter falhado um penálti que, aparentemente, ninguém queria marcar. “Toda a gente falha. Casillas, Raúl e Reina e muitos outros que me disseram para não dar importância às críticas,” completou.

Morata admite que tem recorrido à ajuda do psicólogo da seleção espanhola: “O Joaquín ajuda-nos muito. É bom teres alguém que te entenda e te oiça quando precisas. Tenho medo de voar e poder falar dessas coisas com ele é muito bom”.

  • E o burburinho desapareceu
    Euro 2020

    Espanha vence Eslováquia por 5-0, termina em segundo lugar do Grupo E e vai encontrar a Croácia nos oitavos de final, na próxima segunda-feira, em Copenhaga

  • "É um futebolista moderno que com muito pouco, gera muito": conversámos com Julio Velázquez, o treinador que lançou Gerard Moreno
    Euro 2020

    O treinador do Marítimo promoveu Gerard Moreno da equipa C do Villarreal à equipa principal, onde se estreou, a 2 de dezembro de 2012, contra o Elche. Começou por ser um dos protagonistas do debate à volta do avançado da seleção espanhola no Europeu por estar no banco, depois de uma temporada em que fez 30 golos e ganhou a Liga Europa. Na segunda jornada do Grupo E, em que a Espanha somou um segundo empate, jogou perto de Álvaro Morata, a quem deu um golo antes de falhar um penálti. Em dia do decisivo Espanha-Eslováquia (17h, SportTV1), Velázquez conta à Tribuna Expresso o que tem de especial este futebolista