Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Mulher que provocou acidente no Tour de France porque queria tirar fotografias está a ser procurada pela polícia

A espectadora foi vista a aproximar-se do pelotão, segurando um sinal, na região de Finisterra na Bretanha. O ciclista alemão Tony Martin tocou levemente no sinal mas isso não o impediu de cair, arrastando com ele outros competidores

Tribuna Expresso

Pool

Partilhar

As autoridades francesas anunciaram a abertura de uma investigação criminal. O objetivo é encontrar a mulher que “deliberadamente violou as regras de segurança e provocou ferimentos que podem impedir que algumas das vítimas fiquem impedidas de trabalhar durante três meses”.

O vídeo do incidente mostra a mulher, de casaco amarelo, a segurar um cartaz com “avó e avô” escrito em alemão. Está a olhar para o lado contrário e não vê o pelotão a aproximar-se. Em consequência dessa distração, um dos ciclistas foi obrigado a retirar-se da prova e outros oito receberam assistência de um dos médicos oficiais.

De acordo com a polícia, a mulher fugiu após o acidente. As autoridades pedem que as testemunhas entrem em contacto para auxiliar a investigação. Pierre-Yves Thoault, da organização do Tour de France, disse que os próprios organizadores pretendem processar a mulher em causa.

“Vamos processar esta mulher que se portou de forma inaceitável. Estamos a fazê-lo para que o pequeno número de pessoas que fazem estas coisas não estraguem o espetáculo aos outros espetadores,” disse Thoault à agência AFP.

Com o relaxamento das restrições devido ao novo coronavírus, muitas pessoas têm-se deslocado aos locais de passagem da prova para ver e apoiar os ciclistas. Foi-lhes pedido que se mantenham fora da estrada, a uma distância segura para todos. Após o acidente, a organização do Tour de France tem deixado apelos nas redes sociais. No Twitter, pode ler-se: “Não arrisque tudo por uma fotografia ou para aparecer na televisão”.