Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

Peter Schmeichel critica "erro grave" no penálti de Sterling e os italianos já brincam: "It's diving home"

Respeitado pelos dois lados, Peter Schmeichel não teve problemas em acusar o árbitro do Inglaterra-Dinamarca de parcialidade. O antigo guarda-redes, pai de Kasper Schmeichel, considera que Sterling não sofreu qualquer falta

Tribuna Expresso

Lars Ronbog/Getty

Partilhar

O antigo guarda-redes do Manchester United e do Sporting acusou o árbitro Danny Makkelie de ter cometido “um erro enorme” ao atribuir à seleção inglesa um penálti que viria a ser decisivo para a eliminação da Dinamarca. Peter Schmeichel é muito respeitado por ambos os lados, mesmo que o filho, Kasper, estivesse a defender a baliza dinamarquesa.

O penálti, batido por Harry Kane, acabaria por ser defendido por Kasper Schmeichel, mas Kane cheira o golo onde quer que esteja e conseguiu, na recarga, pôr os ingleses em vantagem. O lance acabou por ser decisivo para definir o vencedor da meia-final.

Quanto ao lance da polémica, o árbitro considerou que Raheem Sterling sofreu falta dentro da área. A Itália, adversária de Inglaterra na final de domingo, já aproveitou para fazer jogo mental, transformando a letra da canção “Three Lions”, entoada pelos adeptos ingleses, de “it’s coming home” para “it’s diving home”. “Diving” significa mergulhar e a referência é, obviamente, à forma como Sterling conseguiu o penálti.

O próprio Ian Wright, antigo avançado do Arsenal e da seleção inglesa, admitiu que os seus compatriotas “tiveram muita sorte por ter sido marcado o penálti”. No seu comentário para o “beIN SPORTS”, Peter Schmeichel acrescentou que a derrota é “difícil de aceitar”, tendo em conta a decisão errada de Danny Makkelie.

Quem não deixou de reforçar a crítica ao árbitro foi José Mourinho. Ao “talkSPORT”, o treinador português admitiu-se “desiludido” com a decisão de Makkelie e defende que o VAR devia ter anulado a sentença do chefe da equipa de arbitragem. “Nunca foi penálti. A melhor equipa venceu, Inglaterra mereceu ganhar, é melhor do que a Dinamarca, mas aquilo não era penálti. Não percebo a decisão do árbitro e a não-intervenção do VAR,” disse o português.

  • O futebol até pode estar prestes a ir para casa, mas tem de agradecer aos dinamarqueses
    Euro 2020

    A Inglaterra jogou este Europeu quase todo em casa, onde vai jogar a final porque ganhou (2-1) à Dinamarca, que sai como muito mais do que a única equipa a marcar um golo aos ingleses. Sai como a seleção que perdeu o melhor jogador para uma tragédia que não o foi, superou o trauma, alimentou-se dele, esmifrou todo o potencial que tinha e aguentou até ao prolongamento de um cansaço inevitável. E há crónicas que são devidas, sobretudo, aos derrotados