Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Toni e a crise no Benfica: "Espero que se feche definitivamente um ciclo"

Antigo jogador e treinador do Benfica, adepto confesso dos Encarnados, Toni tem mantido o silêncio sobre a detenção de Luís Filipe Vieira e a consequente crise diretiva na Luz. O técnico reagiu agora, através de comunicado, ao momento vivido pelo seu clube

Tribuna Expresso

Partilhar

Toni considera que os tempos são conturbados, o momento é “porventura o mais delicado, no plano institucional, da longa história” do Benfica. Daí ter optado por manter o silêncio nos últimos dias, apesar de ter sido “instado, frequentemente” a comentar a situação.

O antigo treinador do clube quebrou o silêncio por considerar “que o exercício da cidadania benfiquista não se compadece com alheamento ou silêncio” Toni chega a dizer que manter-se calado refletiria “uma posição comodista, cobarde mesmo”.

Ao mesmo tempo que chama “todos os sócios e adeptos do Sport Lisboa e Benfica” a darem o seu apoio ao futebol e também às outras modalidades, Toni pede que os benfiquistas “reflitam sobre as razões” que levaram o clube à “situação insustentável” que vive e que o prejudica “em termos reputacionais”.

Toni considera que as eleições são “de imperativa necessidade” e servirão para fechar “definitivamente um ciclo” e abrir outro, “com o triunfo dos valores e dos princípios”. A lenda do clube lembra ainda, no final do comunicado, a “mística” e a “honradez”, bem como a “cultura competitiva ganhadora” como “sinais distintivos (…) que urge recuperar e até reforçar”.