Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Coreia do Sul indignada com o ouro de Foroughi: "Como é possível um terrorista ganhar?"

Javad Foroughi arrecadou a primeira medalha de ouro do Irão, na prova de tiro. A delegação sul-coreana não se conforma porque o iraniano fez parte da Guarda Islâmica Revolucionária, mesmo que o tenha feito enquanto enfermeiro

Tribuna Expresso

Kevin C. Cox

Partilhar

“Como pode um terrorista ganhar uma medalha de ouro? É uma coisa absurda,” disse Jin-Jong Oh, sul-coreano com seis medalhas olímpicas no torneio de tiro. A controvérsia surgiu depois de Javad Foroughi, um iraniano de 41 anos, ter vencido a prova e arrecadado a primeira medalha para o seu país.

Indignados, os sul-coreanos lembraram que Foroughi fez parte da Guarda Islâmica Revolucionária, no Irão. A organização foi considerada terrorista pelos EUA em 2019, quando o país estava ainda sob governação de Donald Trump.

“Não é apenas uma catástrofe para o desporto iraniano, como também para toda a comunidade internacional e especialmente para a reputação do Comité Olímpico Internacional,” disseram os sul-coreanos, acrescentando uma acusação que dificilmente ficará sem castigo. A Coreia do Sul acusou o COI de “ser cúmplice e de promover o terrorismo e os crimes contra a humanidade”.

Nenhum argumento conseguiu atenuar a raiva pouco comum dos sul-coreanos. Nem o facto de o atleta de 41 anos ter feito parte da organização militar como enfermeiro e trabalhar atualmente num hospital de Teerão calou os protestos.