Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Na entrega das medalhas na natação sincronizada, as atletas ucranianas foram anunciadas como russas. Organização dos Jogos pediu desculpa

A organização dos Jogos Olímpicos cometeu uma gafe: chamou "russas" às nadadoras ucranianas. Já foram pedidas desculpas aos dois países

Tribuna Expresso

FRANCOIS-XAVIER MARIT/Getty

Partilhar

"Foi apenas um erro operativo,” disse Masa Tanaka, porta-voz dos Jogos Olímpicos. Na verdade, quando o erro envolve países em guerra, com uma rivalidade histórica que faz do Portugal-Espanha uma brincadeira, rapidamente se torna assunto sério, capaz de levar a incidentes diplomáticos, entre outras coisas.

Na entrega de medalhas da prova de natação sincronizada, as nadadoras Marta Fiedina e Anastasiya Savchuk, que acabaram em terceiro lugar e, portanto, conquistaram o bronze, foram apresentadas à posteridade como russas.

Fred Lee

Acontece que as duas medalhadas são ucranianas.

Masa Tanaka pediu desculpa aos dois países e explicou: “Durante o anúncio em francês, deveriam ter dito Ucrânia e não COR [a sigla que identifica o comité russo, uma vez que a Rússia está impedida de participar nos Jogos oficialmente]”.

O diretor de comunicação de Tóquio 2020 admitiu que “todos perceberam o erro” e que “a pessoa responsável pelos anúncios já pediu desculpa”. Tanaka deixou também o seu pedido de desculpa à comitiva ucraniana, em nome individual.

A rivalidade histórica e geopolítica entre a Rússia e a Ucrânia intensificou-se desde 2014, quando a primeira nação anexou a região da Crimeia, território pertencente ao segundo país.