Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Depois de mais uma humilhação do Barcelona pelo Bayern, Piqué reconhece: “É o que há. É um ano complicado”

O capitão do Barcelona mostrou-se naturalmente insatisfeito com a derrota em casa, por 0-3. O Bayern de Munique, habitual carrasco dos catalães, apenas realçou o que se vê de longe: este Barça não tem força. Mas Piqué zangou-se com os adeptos por assobiarem a equipa, principalmente Sergi Roberto, que jogou numa posição que não é a sua

Tribuna Expresso

David Ramos/Getty

Partilhar

Piqué não teve problemas em admitir que o Bayern foi superior, mesmo que não com números semelhantes ao histórico 8-2, dos quartos-de-final da Champions de 2020, decidida em Lisboa.

O capitão do Barcelona reconheceu também que o clube não está entre os favoritos à conquista da Liga dos Campeões, algo que soa muito estranho aos ouvidos habituados ao futebol. Lembrando que há muitos lesionados no plantel, o defesa central referiu que terminaram o jogo com muitos jovens e outros, como Sergi Roberto, a jogar numa posição a que não está habituado.

“Penso que o resultado é exagerado. No entanto, se vires o jogo, fomos competitivos na primeira parte e, ainda assim marcaram um golo. Foi o 0-2 que nos fez mal. Entraram jogadores de 18 anos, a equipa deu a cara. É o que há. É um ano complicado,” desabafou Piqué no fim da partida.

O capitão do Barça assume que, neste momento, o gigante catalão não está entre os favoritos para ganhar a Liga dos Campeões. Contudo, lembra a edição do ano passado da competição. “Quem dava o Chelsea como favorito?” Não me quero desculpar, somos o Barça. Veremos no final da época,” declarou Piqué.

O jogador do Barcelona admite ainda que os assobios e apupos dos adeptos a Sergi Roberto “doem muito”. “É um ser humano espetacular e ama o clube. Gostaria de recordar às pessoas que ele não é lateral. É médio e fez o sacrifício para adaptar-se. As pessoas são livres de se manifestarem, mas, pessoalmente, dói muito,” desabafou o capitão do Barcelona.