Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Thierry Henry contraria ideia de Wenger: “Jogar um Mundial a cada dois anos é mentalmente duro para os jogadores”

A lenda do Arsenal discorda do seu antigo treinador, Arsene Wenger, que sugeriu a realização do Campeonato do Mundo de futebol de dois em dois anos, em vez do formato atual, de quatro em quatro. Para Henry, isso tornar-se-ia demasiado exigente para os jogadores, não apenas em termos físicos mas principalmente mentais

Tribuna Expresso

David Price

Partilhar

O antigo campeão do mundo pela França, Thierry Henry, discorda do compatriota Arsene Wenger, quando este sugere dobrar a frequência dos Mundiais de futebol, passando dos atuais quatro para dois anos. Henry faz também uma crítica à FIFA, questionando a razão de a organização ouvir mais as estrelas já reformadas do que as ativas.

O mítico treinador do Arsenal desempenha, hoje em dia, o papel de diretor para o desenvolvimento do futebol global, função criada pela FIFA. Wenger tem falado frequentemente na sua ideia fazendo questão de a referir em todas as entrevistas que dá. Curiosamente, Wenger tem do seu lado um antigo adversário seu e de Henry: Peter Schmeichel, antigo guarda-redes do Manchester United e do Sporting, entre outros, concorda com o técnico francês.

Henry assume que teve dificuldades em lidar com a pressão de jogar um Mundial a cada quatro anos. “Joguei quatro Mundial e três Europeus e saí deles completamente de rastos,” admite o antigo goleador.

Num debate na cadeia americana de televisão CBS, Henry teve ao seu lado o ex-internacional inglês, antigo defesa do Liverpool, Jamie Carragher, que deixou algumas críticas à FIFA. Depois de se ter mostrado contra a ideia de Wenger, Carragher deixou de ser convidado para as reuniões com o antigo treinador do Arsenal. O mesmo não aconteceu a Peter Schmeichel, entre outros, que apoiam o projeto.

“Talvez eu não tenha sido convidado para o próximo [encontro] porque não estou tão envolvido como tu [Peter Schmeichel] e não apoie o Mundial [a cada dois anos],” disse Carragher. “O meu grande problema é: porque é que estamos à procura de ex-jogadores que apoiem a ideia? Nós não vamos lá estar. Perguntem aos jogadores que o vão disputar,” acrescentou o ex-Liverpool.

De acordo com a agência Associated Press, os jogadores que participaram na última conferência da FIFA, este mês, estavam todos ao lado de Wenger, apoiando a realização de Campeonatos do Mundo de dois em dois anos.