Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Zverev debaixo de fogo: ATP investiga alegadas agressões do campeão olímpico à ex-namorada

Olga Sharypova, antiga namorada do tenista alemão, já tinha vindo a público revelar o "inferno" por que passou, queixando-se simultaneamente de que ninguém estava a fazer nada para perceber o que se tinha passado. A ATP, organismo máximo do ténis masculino, revelou que já começou a investigar a conduta de Zverev fora dos courts

Tribuna Expresso

Alexander Zverev e Olga Sharypova no Open de Hamburgo, em 2019

Alexander Scheuber/Getty

Partilhar

Aproximadamente um ano depois de Olga Sharypova, ex-namorada de Alexander Zverev, ter revelado que o tenista a agredia, a ATP anunciou uma investigação interna ao caso. De acordo com o “The Guardian”, o organismo máximo do ténis masculino completou um relatório independente com recomendações para que se desenvolvam políticas mais avançadas em casos de abuso e violência doméstica. O coordenador da investigação é um antigo elemento da polícia britânica.

O diretor da ATP, Massimo Calvelli, emitiu um comunicado, no qual refere: “As alegações feitas contra Alexander Zverev são sérias e temos a responsabilidade de nos debruçarmos sobre elas. Esperamos que a nossa investigação permita estabelecer os factos e determinar a atitude apropriada”. De acordo com Calvelli, o tenista recebeu bem a notícia da investigação e continua a negar todas as acusações.

Sharypova veio a público há cerca de um ano para acusar de violência doméstica o número quatro do ranking ATP e atual campeão olímpico. Em várias entrevistas, Olga contou que viveu “um inferno” ao lado do tenista alemão. Depois da conversa da ex-namorada com a revista “Slate”, Zverev colocou a publicação em tribunal e continua a negar toda e qualquer acusação.

Nas diversas entrevistas, Sharypova disse que Zverev abusava dela física e emocionalmente e descreveu em detalhe as agressões que ocorreram sobretudo em quartos de hotel, em 2019. Inicialmente, a ATP gerou um coro de assobios ao anunciar que apenas agiria se houvesse investigações legais. Entretanto, em 2021, a organização decidiu avançar com a sua investigação.

A ATP concentrou-se nas alegações de Sharypova relativamente ao Masters de Xangai, em 2019. A ex-companheira de Zverev acusou-o de a atacar no quarto do hotel e revelou que tentou suicidar-se com uma injeção de insulina. Amigos de Sharypova forneceram à revista “Slate” fotografias de feridas no rosto e screenshots de mensagens que Olga lhes tinha enviado no WhatsApp. Alegadamente, uma amiga acabou por ter mesmo de ajudar Sharypova a sair da China.

Alexander Zverev continua a negar as acusações e disse mesmo que ficava “satisfeito” por estar a decorrer uma investigação. “Sempre fui a favor da criação de uma política contra a violência doméstica da ATP. Indo mais longe, a investigação da ATP é bem-vinda. Há meses que tenho pedido à ATP que dê início a uma investigação independente,” declarou o campeão olímpico de ténis.