Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Jackson Martínez, o futebol e o arrependimento: “Tive uma vida de luxúria e alegria nos pecados. Estive rodeado de álcool e de cigarros”

O antigo goleador do FC Porto admite que, enquanto jogador de futebol, se deixou levar pelo pelo álcool e por substâncias ilícitas, uma mistura corrosiva que lhe transformou a vida e a carreira. Atualmente, Jackson dedica-se à música e tornou-se um homem profundamente religioso

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

O FC Porto abriu-lhe a porta do tão desejado futebol europeu. O colombiano entrou em grande e, durante três anos, marcou muitos golos e impressionou a Europa com o que fazia em campo. Fora dele, as coisas não eram tão brilhantes: “Tive uma vida de luxúria e alegria nos pecados,” disse Jackson Martínez ao programa “Lo sé todo”, do Canal 1 da televisão colombiana.

A determinada altura, o brilho das suas exibições começou a perder-se, em grande parte devido às inúmeras lesões. Jackson recorreu então à variedade de substâncias ao seu alcance, das quais “desfrutava (…) porque não as via dessa forma”. “Via-as como algo normal, como todos fazem,” admitiu Jackson, que culpa as “amizades” pelas escolhas erradas que fez.

"No meu caso comecei a sentir que algumas amizades que tinha levavam-me para as festas, os copos. Estive rodeado de álcool, de cigarros e muitas outras coisas também", acrescentou o antigo internacional colombiano.

Hoje em dia, o antigo avançado diz que se focou em Deus: “Nunca o verás como tudo até ao momento em que Ele seja tudo o que tens, por isso tomei essa decisão”. Para além da religião, o colombiano abraçou a música. Atualmente, Jackson Martínez promove o segundo single da sua – ainda curta – carreira musical. A música chama-se “Las 2 Puertas”.