Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Quando o Barça ligou, Agüero pensou que “não importa o que pagam”. Depois, Messi saiu: “Foi um momento de choque, ele estava muito mal”

Em entrevista ao "El País", Sergio Agüero, que na quarta-feira se estreou finalmente num jogo-treino do Barcelona, confessou não estar arrependido por ter assinado pelos blaugrana. Sobre Cristiano e Messi, fez um desabafo: "Esse talento vem de fábrica"

Tribuna Expresso

CARL DE SOUZA

Partilhar

Assinou pelo Barcelona para jogar ao lado do amigo Lionel Messi. Mas um verão atípico levou o genial canhoto para longe da Catalunha, para jogar num estádio de Paris, ao lado de grandíssimos futebolistas. Apesar de tudo, Sergio Agüero não se arrepende.

"Vamos ser sinceros: que jogador não quer estar no Barça?”, questionou numa entrevista ao “El País”, publicada esta quinta-feira. “Diria que a maioria dos futebolistas gostaria de vestir esta camisola, por mais que o Barcelona esteja bem ou mal. Cheguei com a expectativa de jogar com o Leo e que fosse montada uma grande equipa. Quando me ligaram pensei: ‘Não importa o que pagam. Ponho-me bem e vou ajudar a equipa o mais que possa'”.

O avançado argentino até esteve uns tempos sem ser inscrito devido aos problemas financeiros do clube, uma situação que só foi resolvida quando Sergio Busquets e Jordi Alba imitaram Gerard Piqué e aceitaram baixar o salário. Nem a saída de Messi resolvera essas questões, o que destapava um cenário de casa a arder para os lados do Camp Nou.

Questionado sobre a surpreendente saída de Messi, Agüero contou que o amigo estava desanimado: “Foi um momento de choque. Ele estava muito mal. Quando soube disso, não podia acreditar. Nesse sábado fui até a casa dele. Pela minha personalidade, como não o via bem, tentava fazer com que se esquecesse do que estava a acontecer. Vi que estava meio apagado e tentava distraí-lo”.

Na mesma entrevista, para além de negar qualquer discussão ou confronto com Pep Guardiola, Kun revelou o que Lionel Messi lhe confessou uma vez sobre estar entre os melhores do mundo. “Disse-me que, para ter chances de ganhar a Bola de Ouro, tinha que ganhar a Liga dos Campeões. E tinha razão”, admite.

Apesar de orgulhoso pelo que fez no Manchester City, Agüero reconheceu que não estava à altura de Messi e Cristiano. “Esse talento vem de fábrica”, sentenciou.

A recuperar de lesão há bastante tempo, o avançado argentino jogou finalmente, na quarta-feira, num jogo-treino contra o Cornellá, um teste no qual fez um golo. O Barça empatou 2-2.