Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Bruno Alves e o telefonema que o afastou da reforma: “Cristiano Ronaldo disse-me: ‘Tens de continuar a jogar. Cuidas de ti, estás em forma’”

O antigo defesa central do FC Porto e da seleção nacional esteve no Famalicão três semanas. A experiência menos boa levou-o a pensar em terminar a carreira. Foi o amigo CR7 que, com um telefonema, o demoveu de pendurar as chuteiras. Bruno Alves joga atualmente na Grécia, no modesto Smyrnis

Tribuna Expresso

Laurence Griffiths

Partilhar

O internacional português Bruno Alves, antigo defesa do FC Porto e do Parma, entre outros, assinou pelo Famalicão no início desta época. O contrato de dois anos acabou por durar apenas três semanas, com o futebolista a deixar o clube minhoto pouco depois de ter chegado.

Na altura, Alves, de 39 anos, comunicou a súbita decisão através do Instagram: "Venho por este meio comunicar a rescisão amigável com o Famalicão. Aproveito para desejar sucesso e que atinjam os seus objetivos. A partir deste momento sou um jogador livre".

Na verdade, Bruno Alves sentiu-se tão livre que quis terminar a carreira. Foi um telefonema de Cristiano Ronaldo, de quem é grande amigo, que alegadamente demoveu o defesa central de pendurar as chuteiras. Convencido por CR7, Alves esteve perto de regressar a Itália, mas acabou por rumar à Grécia para representar o Smyrnis, clube onde joga atualmente.

“[Cristiano Ronaldo] disse-me: ‘Tens de continuar a jogar. Cuidas de ti e estás em boa forma,’” revelou o defesa central. “Sei o quanto gostas de futebol, por isso não desistas,” terá dito o capitão da seleção portuguesa.

Foi o suficiente, para Bruno Alves: “Mudou a minha decisão”. Ao portal grego Sport24, o português confessou: "Foi um grande apoio do melhor do mundo. Se o Cristiano diz para continuar, então é porque posso realmente continuar".