Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

"Noite deprimente". As críticas da imprensa inglesa depois do Tottenham de Nuno Espírito Santo perder com o Vitesse

O clube treinado por Nuno Espírito Santo não deixou boa impressão no último jogo da Liga Conferência. A equipa inglesa foi aos Países Baixos perder com o Vitesse por apenas um golo, o suficiente para que a exigente imprensa britânica caísse em cima dos Spurs

Tribuna Expresso

Martin Rose

Partilhar

Em noite não para os treinadores portugueses, Nuno Espírito Santo não foi exceção. Em jogo a contar para a mais modesta e recente competição da UEFA, a Liga Conferência, o Tottenham defrontou o Vitesse nos Países Baixos. Considerando a diferença de qualidade – baseada no valor financeiro – de ambos os planteis, apesar de jogar fora de casa, o clube londrino era claro favorito. A vitória acabou por sorrir aos neerlandeses, mesmo que pela margem mínima.

O “Daily Mail” chamou-lhe “noite deprimente”, referindo-se ao tempo e também à qualidade do jogo. O capitão do Tottenham, Ben Davies, queixou-se do estado do relvado antes da partida e de muitas decisões do árbitro durante o jogo. Aplica-se a frase circular mais repetida de 2021 – “É o que é” – seguida de um encolher de ombros.

No início da semana, Nuno Espírito Santo tinha sugerido que a Liga Conferência seria pouco relevante para o clube. O técnico português apressou-se a desmentir que o Tottenham tenha duas equipas: uma para a competitividade da Premier League, outra para o parente “pobrezinho” das competições europeias. Como o “Daily Mail” realçou, o jogo com o Vitesse mostrou precisamente o contrário.

A comunicação social inglesa lembra que Espírito Santo desvalorizou os riscos e deixou alguém como Harry Kane a descansar em casa. Para o Vitesse, foi uma noite memorável. A vitória foi considerada “justa”, mesmo em Inglaterra, e o golo que valeu três pontos elogiado em toda a parte. A 12 minutos do fim, Maximilian Wittek disparou de longe e acertou em cheio nas redes interiores da baliza defendida por Gollini.

Esta poderá ter sido apenas uma pedra no caminho e tudo será perdoado caso os comandados de Espírito Santo – a primeira equipa, espera-se – vençam o West Ham no próximo domingo. Mas o “Daily Mail” questiona se Nuno Espírito Santo terá ficado verdadeiramente preocupado com a imagem deixada pelas suas “reservas” nas terras baixas. Apesar de tudo, havia nove internacionais no onze inicial dos Spurs.

No final, Nuno disse: “Foi um jogo duro contra uma boa equipa, nós lutámos bem. Temos mais três jogos, dois em casa, e acredito verdadeiramente que podemos acabar como líderes do grupo”. Sobre a atuação dos jogadores menos utilizados, o técnico afirmou: “É isto que queremos. Podemos melhorar a forma física dos jogadores”. A declaração não terá caído muito bem entre os adeptos do Tottenham.