Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

De contratação “galática” a possível dispensado, Sergio Ramos ainda não jogou pelo PSG e pode nem chegar a fazê-lo

O defesa central, lenda do Real Madrid e da seleção espanhola, só não foi a contratação mais falada do PSG graças a um "tal" Leo Messi. Mas a adaptação não tem sido a esperada e o azar deu uma ajuda. Ramos está lesionado, ainda não se estreou pelo clube francês, que está a perder a paciência e já estuda as opções para rescindir

Tribuna Expresso

Paris Saint-Germain Football

Partilhar

Esperava-se mais de Sergio Ramos em Paris, ainda que a culpa não seja propriamente do antigo defesa do Real Madrid. Na verdade, são vários os problemas físicos que ainda não deixaram o jogador estrear-se pelo PSG. Mas as máquinas de fazer milhões não são sensíveis a esses argumentos. O clube francês está a perder a paciência e já se estudam as várias possibilidades de atingir um mesmo fim: a rescisão.

O jornal “Le Parisien” deu o primeiro sinal. O PSG estaria a contemplar a hipótese de se ver livre de um dos milionários do plantel. Por outro lado, o “Mundo Deportivo” listou os obstáculos que poderão levar os parisienses a pensar melhor.

O jornal desportivo espanhol explica a existência de um artigo nos regulamentos que considera a rescisão unilateral de contrato com um jogador razão para o pagamento obrigatório de uma indemnização calculada segundo o ordenado anual do atleta. A verba superaria os 20 milhões de euros.

Além disso, Sergio Ramos vive o seu “período protegido”, ou seja, os primeiros três anos de contrato com o PSG. Isso significa que o próprio clube francês pode ser punido e ser, por exemplo, impedido de inscrever novos jogadores nas duas aberturas de mercado posteriores à quebra do vínculo.