Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

Otamendi estará cansado do “tom” de Jorge Jesus e já terá ameaçado sair do Benfica em janeiro se não houver mudança de comportamento

O estilo agressivo do treinador benfiquista estará a virar-se contra ele. Nico Otamendi, um dos pilares da defesa do Benfica e capitão da equipa, já terá feito saber, de acordo com o jornal "Record", que não está satisfeito e Lucas Veríssimo foi visto a pedir calma a Jesus durante a derrota contra o Bayern, em Munique

Tribuna Expresso

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

Em Munique, entre os golos do Bayern, viu-se o defesa central Lucas Veríssimo a pedir a Jorge Jesus que tivesse calma. O técnico estava a repreender o brasileiro, que não escondeu o mal-estar com a agressividade de Jesus.

O jornal “Record” refere que Veríssimo está longe de ser caso único no plantel do Benfica.

O seu colega da defesa, Otamendi, um dos capitães da equipa, também está a acusar o desgaste. O argentino terá ido mais longe e, de acordo com a "CMTV", ameaçou bater com a porta em janeiro se o comportamento de Jesus não mudar.

Já no empate frente ao Estoril tinha sido possível ver no rosto de alguns jogadores a insatisfação pela maneira como o treinador se lhes dirigia. Rafa e Gilberto não esconderam o mal-estar, segundo o mesmo canal, tal como Darwin já tinha feito em Guimarães.

O jornal desportivo lembra que o início da época, mais conseguido, terá conseguido disfarçar a insatisfação de alguns elementos do plantel benfiquista. Após a fase mais positiva, começou a ser difícil esconder o desconforto dos atletas com a forma exaltada e as palavras duras do veterano treinador.

Em cerca de duas semanas o Benfica sofreu nove golos do Bayern na Liga dos Campeões, perdeu com o Portimonense e empatou no Estoril. O “Record” diz que os futebolistas querem uma atitude mais positiva, que una o plantel, por oposição ao estilo muito próprio com que Jorge Jesus orienta os treinos e os jogos.

  • Uma coisa é perder no precipício, outra é ser atropelado
    Benfica

    Aos 0-4 de há duas semanas, em Lisboa, juntou-se o 5-2 em Munique, onde o Benfica foi novamente derrotado, mas onde jamais mostrou os laivos de taco-a-taco que conseguira ter, em alguns momentos, com o Bayern. A intensidade com que os alemães marraram sem piedade na equipa de Jorge Jesus foi agravada pela opção do treinador em abdicar de certos jogadores para não os perder nos jogos seguintes que, de facto, agora não poderá perder. Na Allianz Arena, acabou domado e derrotado