Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Revista de Imprensa

“Dia negro”, “da luz à sombra”, Ronaldo “perro” e “apagado”: as reações da imprensa internacional à derrota de Portugal com a Sérvia

Alguns pegaram na derrota coletiva, na exibição confusa de uma seleção que tinha a obrigação de fazer mais, muito mais. Outros agarraram-se a Cristiano Ronaldo e à alegada zanga com Fernando Santos. O jogo entre Portugal e a Sérvia está inevitavelmente nas manchetes internacionais. E não se esperem elogios

Carlos Luís Ramalhão

Carlos Rodrigues

Partilhar

A derrota de Portugal frente à Sérvia surpreendeu o mundo do futebol, incluindo a imprensa afeta a ele. O estatuto da seleção nacional não é o mesmo depois da vitória no Euro 2016 e já antes vinha sendo elevado, depois de o planeta ter percebido que Cristiano Ronaldo era um jogador excecional.

A ascensão de outros nomes como Bernardo Silva, Rúben Dias, João Félix, Diogo Jota ou Bruno Fernandes trouxe força mas também obrigação. Daí que o golo silenciador do Estádio da Luz, marcado por Mitrovic, tenha ganhado uma relevância muito diferente do que aconteceu no final dos anos 90, quando Artur Jorge não conseguiu qualificar Portugal para o Mundial de França.

Na imprensa internacional, não há espaço para paninhos quentes. Não há elogios nem desculpas. Portugal fez um jogo mau e, como diz o francês “L’Équipe”, a vitória dos sérvios “foi merecida”.

Nas boas e nas más horas, Cristiano Ronaldo é tema obrigatório. A derrota frente à Sérvia não é diferente. Os ingleses do “The Guardian”, chamam “capitão-talismã” ao jogador do Manchester United, para logo a seguir dizerem que o madeirense esteve “perro” no jogo de domingo. É a justificação dada para a parca exibição do ataque português. Já lá atrás, quem não é poupado é Rui Patrício, principalmente pelo golo do empate, “oferecido” pelo ex-guarda-redes do Wolverhampton.

Com jogadores do Manchester United, Manchester City, Liverpool ou Wolverhampton no plantel nacional, é normal que os jornais ingleses se interessem ainda mais pela prestação de Portugal. Curiosamente, o “The Guardian” escolheu citar João Palhinha. O jogador do Sporting não fez cerimónias: “Temos de assumir as responsabilidades porque fizemos um mau jogo. Na segunda parte, só defendemos. Crédito à Sérvia, jogaram muito bem mas nós tínhamos a capacidade de estar por cima”.

O “Daily Mail” centrou as atenções na reação de Cristiano Ronaldo que, no final do jogo, confrontou efusivamente Fernando Santos. O tabloide diz: “Cristiano está a rebentar! Zangado, Ronaldo é apanhado pelas câmaras a fumegar frente a Fernando Santos”. O mesmo jornal refere que havia lágrimas no rosto do melhor do mundo. “A frustração não foi atenuada pela sua incapacidade de dar mais impacto ao jogo. Foi um final desapontante para uma campanha de qualificação fértil em golos para Ronaldo.

O jornal inglês lembra que Portugal tem estado em todas as edições do Mundial desde 1998. Agora, para chegar ao Catar, tem de passar por dois jogos do playoff.

No Brasil, o site Globoesporte pontua a derrota de Portugal com muitos pontos de exclamação, realçando o caráter “dramático” do jogo. Os brasileiros destacam que Cristiano Ronaldo esteve “apagado na maior parte do tempo, assim como a maioria dos jogadores do ataque português”. “Acostumado a ser decisivo para a seleção portuguesa e para o Manchester United, desta vez CR7 não fez a diferença,” diz o site.

Mais perto de nós, a imprensa espanhola não ignorou a inesperada queda dos vizinhos. “Aos lusos bastava um empate frente à Sérvia e até começaram a ganhar. Sem contemplações, a Sérvia trabalhou para a reviravolta no último suspiro,” conta o jornal “Sport”.

“A frustração foi tão grande que alguns, como Cristiano Ronaldo, perderam a cabeça após o apito final,” refere o jornal sediado em Barcelona, acrescentando que CR7 “explodiu contra o seu selecionador”.

A “Marca” centrou-se no “dia negro em Portugal”, ou seja, a ressaca do dia seguinte que, de acordo com o jornal de Madrid, “está a ser dura”.

“Teria sido valiosa a vitória perante o seu público mas não puderam com os balcânicos que fizeram a reviravolta depois do golo inicial de Renato Sanches,” diz. A “Marca” estudou as capas dos jornais portugueses de hoje e destacou a forma “duríssima” como a imprensa nacional se refere ao jogo de domingo. Antes de terminar, o jornal espanhol refere a má prestação de Rui Patrício e o “erro garrafal” que deu o empate aos sérvios.

O francês “L’Équipe” afirma que “Portugal (…) se inclinou perante a Sérvia” e que, por isso, vai ter de disputar e ganhar o play-off se quiser marcar presença no próximo Mundial. Os franceses dizem que a vitória dos sérvios “foi merecida” e que levou Portugal “da luz à sombra”. Referência especial para as prestações de Ronaldo e Jota, “demasiado neutras” na partida de ontem.