Tribuna Expresso

Perfil

Ronaldo

Como triunfar na vida, pelo guru CR7: 70% de dedicação, amigos inteligentes, aulas de inglês e um filme em Hollywood

Cristiano Ronaldo foi orador nos prémios Globe Soccer, que distinguem o melhor jogador do ano. O português disputará o troféu com Messi, Salah e van Dijk

Tribuna Expresso

FAYEZ NURELDINE

Partilhar

Trabalho

"Não há segredos nem milagres. Ganhar em todos os lugares em que estive não é uma coincidência; quando és um campeão, vences sempre. Mas sem trabalho, muito trabalho, dedicação e paixão pelo que fazes, não podes ter palmarés, troféus, recordes e estatísticas. O mais importante é manter a motivação alta. Não tenho nada que provar."

Cuidados

"Cuidar-me é a minha maneira de viver. Tens de sacrificar-te e dedicar 70% da tua vida ao futebol e cuidar e conhecer o teu corpo: preparação física, alimentação, recuperação. E nem todos os desportistas estão dispostos a isto".

Depois do futebol

"Na minha vida, procuro sempre aprender, educar-me e informar-me sobre aquilo que me interessa. Tenho de recuperar o tempo que tive de abdicar nos estudos. Há vida depois do futebol. Ganhar uma Champions não me vai fazer mais ou menos feliz, ainda, claro, que a queira ganhar. Mas estou a preparar-me para uma vida nova: melhorar o meu inglês, participar num filme de Hollywood, E, para isso, tens de sair da tua zona de conforto, aprender cada vez mais e desafiar-te a ti mesmo - e isso é extraordinário. E, claro, tens de rodear-te de pessoas inteligentes."

O tempo

"Há tempo para tudo: o dia tem 24h e podes treinar, descansar, estar com a família e os amigos, desfrutar. Tens de encontrar um equilíbrio, não é só treinar e treinar. Quando vês que o corpo não tem a mesma capacidade de resposta , tens que assumir isso."

Os recordes

"Bater recordes é um processo que sucede de forma natural depois de muito trabalho. Tens que estar sempre preparado e os recordes acabam por acontecer. Superar o recorde de golos de Pelé seria um orgulho, claro, mas cada um de nós tem a sua história. O Pelé vai continuar a ser o Pelé e o Cristiano continuará a ser o Cristiano. Também tenho o desejo de superar o recorde de Ali Daei, porque me parece ter mais mérito".