Tribuna Expresso

Perfil

Ronaldo

Dybala: “Achava o Ronaldo um gabarolas e disse-lhe: ‘Sabes que te odeiam na Argentina por isso?’. Ele riu-se: ‘Sei, estou habituado’”

Dyabala, colega de Cristiano Ronaldo na Juventus, fala sobre o português, mas também sobre Messi e sobre os sintomas da covid-19 que contraiu

Tribuna Expresso

Quality Sport Images

Partilhar

Numa entrevista concedida à AFA (federação argentina de futebol), Paolo Dybala, médio ofensivo da Juventus, passou em revista alguns temas: a covid-19, que contraiu, a Itália, que sobre com a doença, e Lionel Messi e Cristiano Ronaldo.

Os sintomas

"Tinha uma tosse brutal, sentia-me sempre cansado e quando dormia tinha frio. No início, não me passou pela cabeça que fosse a covid-19, mas, depois, o Rugani e o Matuidi deram positivo... Tinha dores de cabeça, mas aconselharam-me a não tomar nada. A Juventus deu-nos vitaminas e com o tempo fomo-nos sentido melhor."

A Itália

"Antes cansava-me rapidamente. Queria treinar-me, mas cinco minutos depois já não tinha fôlego. Alguma coisa não estava bem. Depois, os testes deram positivo. Aqui, em Itália, morrem muitas pessoas todos os dias. As coisas estão péssimas. Não conseguem gerir os casos. Este coronavírus não é uma merdinha qualquer, temos de estar atentos, as pessoas têm de estar em casa."

Messi

"Eu disse que era difícil jogar com o Messi... Talvez pudesse ter dito uma coisa diferente, porque nunca quis criticar colegas de equipa. Já falei com ele sobre isso e tudo. Taticamente, somos muito semelhantes e também com o Scaloni [selecionador da Argentina] trabalhamos de forma a não pisarmos os pés um do outro. Gostava de dar mais à Argentina e na Copa América joguei pouco".

Ronaldo

“O Ronaldo é uma pessoa fantástica e é muito sociável, tranquilo dentro e fora do balneário. Sim, dá a impressão de ser um gabarolas, mas não há nada que possamos fazer contra isso. Uma vez disse-lhe que na Argentina o odiavam precisamente por isso e e ele começou a rir-se. A resposta dele? 'Sim, eu sei, estou habituado a estas críticas'".