Tribuna Expresso

Perfil

Ronaldo

“Acostumei as pessoas a bater recordes”: o primeiro jogador a marcar pelo menos 50 golos na Premier League, La Liga e Serie A

Ronaldo marcou dois golos à Lazio e a Juventus pode provavelmente encomendar as faixas

MARCO BERTORELLO

Partilhar

O internacional português Cristiano Ronaldo afirmou na segunda-feira que estava satisfeito com a vitória frente à Lazio, por 2-1, em jogo da 34.ª jornada da Liga italiana de futebol, e apontou a novos recordes pessoais.

Ronaldo tornou-se na segunda-feira no único jogador que marcou, pelo menos, 50 golos na Ligas inglesa, espanhola e italiana, depois de apontar os dois golos da vitória da equipa de Turim, que lidera o campeonato com mais oito pontos do que o Inter de Milão, que é segundo.

"Sabíamos que era um jogo difícil e que tínhamos uma grande oportunidade. Jogámos bem e temos uma boa vantagem. Os recordes são sempre importantes, acostumei as pessoas a bater recordes em várias competições. Mas mais importante que os recordes são as vitórias da equipa", afirmou, em declarações à televisão 'Sky Sport'.

O avançado luso considera que os recordes surgem "de forma natural" e reconheceu que gostava de bater os 36 golos de Gonzalo Higuain, seu atual companheiro de equipa, como o máximo goleador da 'Serie A' numa época.

"Seria bonito bater o recorde dos 36 golos, mas o importante é ganhar. Os recordes surgem de forma natural. Vou tentar, mas o mais importante é ganhar a liga", salientou, quando faltam quatro jornadas para terminar a competição.

O internacional luso inaugurou o marcador aos 51 minutos, na marcação de uma grande penalidade, e dilatou a vantagem do conjunto de Turim logo de seguida, aos 54, concluindo uma jogada do argentino Paulo Dybala e anotando o 30.º tento na 'Serie A', o nono nas últimas oito partidas na prova.

Ronaldo, que já leva mais nove golos do que em toda a temporada passada, lidera a lista dos melhores marcadores da competição, juntamente com Ciro Immobile, precisamente o autor do golo da Lazio, que reduziu a diferença no marcador, aos 83, de penálti