Tribuna Expresso

Perfil

Portugal

Fernando Santos: “Nós não trabalhamos todos só para o Ronaldo. Todos nós, em conjunto, trabalhamos para ganhar”

A pouco mais de 24 horas do encontro com a Suécia (19h45, RTP1 e Sport TV1), o selecionador nacional ainda não tem a certeza se o capitão está disponível para o jogo. E mesmo após a grande exibição frente à Croácia, Fernando Santos lembra: qualquer equipa com o melhor do Mundo é melhor

Tribuna Expresso

Diogo Pinto/FPF

Partilhar

Medo de renovar a equipa?

"Há dias estava a ver e eram 42 jogadores lançados. Basta olhar para a média de idades e ver o que aconteceu ao longo destes seis anos. Agora, eu acho que renovação não tem a ver com idade, não é porque se tem mais idade ou menos. O único critério aqui é qualidade. Na seleção portuguesa temos essa possibilidade. Às vezes há jogadores que em determinada altura estão em melhor forma. E uns vão ficando fora, outros dentro, é um ciclo de rotação normal. Isto não é feito por decreto de lei. Basta olhar para 2014 e ver o primeiro jogo que fiz na Dinamarca e olhar agora e perceber que isso não acontece"

Ronaldo e o golo 100

"Se vier a jogar, e não sei, não é só por aí. Ele ontem fez 25 minutos de treino, no período que fez sentiu-se razoavelmente bem. Vamos esperar no treino para ver como ele corresponde nos 40 ou 50 minutos. Então aí tomamos a decisão. A ideia de que ele os portugueses foram muito felizes aqui, uma exibição memorável… isso não significa que vá jogar. Agora, estamos a falar do melhor jogador do Mundo, se ele no treino apresentar o nível dos colegas, a probabilidade de jogar é grande. Se não apresentar essa disponibilidade total obviamente que não poderá entrar nas contas da equipa. Aquilo que sabemos é que a infeção está praticamente debelada. Se se sentir bem, há uma forte probabilidade de ser titular"

Suécia

"Fizemos um jogo particular na Madeira e a Suécia ganhou 3-2. Agora espero que Portugal ganhe aqui. Nunca achei que fossem só altos e loiros. É uma seleção muito forte, com grande capacidade, está quase sempre presente nas fases finais. Com jogadores de qualidade e estrategicamente muito bem organizada. Taticamente vem de uma escola nórdica, um 4-4-2 muito bem organizado, jogadores a ocupar bem os espaços, muito compacta. E depois com jogadores com criatividade. Sai bem no processo ofensivo, procura sair de trás"

Recuperação dos jogadores

"O Rúben [Dias] disse algo importante: nem sempre os treinadores por vezes sabem porque cada jogador recupera de forma diferente, há jogadores que conseguem recuperar em 72 horas, que jogam três, quatro jogos seguidos com margens de 72 horas e há outros que ao fim do segundo jogo já não são capazes. Hoje vamos tentar aferir e falar com os jogadores para saber como estão e eles têm uma palavra importante. Tenho um grupo em quem confio em absoluto em todos os parâmetros e um deles é o da lealdade, no sentido de não terem medo de dizer ao treinador se não estiverem bem. Felizmente o selecionador tem aqui 23 jogadores disponíveis para jogar"

Substituições

"Há um conjunto de factores que não permitem que os jogadores estejam todos bem e sempre a alto nível, por isso acharia bom haver mais do que três substituições, à semelhança daquilo que se passou na Liga dos Campeões e Liga Europa. Porque permite aos treinadores gerir melhor. Não aconteceu assim, temos de respeitar"

Jogar com ou sem Ronaldo é o mesmo?

"Não há diferença. A estratégia é a mesma, a atacar, a defender. Agora, obviamente que não há equipa tenha Ronaldo, o melhor do mundo, e que não trabalhe coisas nesse sentido. Mas seria Portugal ou outra equipa qualquer. Nós não trabalhamos todos só para o Ronaldo, todos em conjunto trabalham para ganhar e o Ronaldo faz parte da estratégia"