Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Portugal

Fernando Santos: "Jogámos de forma diferente do habitual e, não havendo tempo para treinar, a equipa respondeu bem a esta alteração"

O selecionador nacional enalteceu a qualidade de jogo de Portugal no final da 1.ª parte e início da 2.ª e assume que na parte final da partida com o Catar houve "alguma descontração"

Tribuna Expresso

PAULO NOVAIS/EPA

Partilhar

Primeiros 15 minutos lentos

“Sim. Estivemos bem em termos de organização defensiva, estivemos sempre bem, nunca deixámos o Catar criar, roubámos muitas bolas e com oportunidades para fazemos golos depois logo ali na transição rápida. Mas na circulação da bola muita lentidão outra vez, passes desnecessários, que permitiram ao Catar nesses primeiros 15 minutos criar ali duas ou três oportunidades. Têm jogadores muito rápidos na frente. A partir desses 15 minutos acabaram as oportunidades de eles contra-atacarem e a equipa passou a circular diferente, com muita segurança”

Depois do intervalo

“Na 2.ª parte, acho que nos primeiros 10 minutos ainda estivemos bem, empurrámos o adversário para trás, mas desligamo-nos um pouco do jogo e deixámos o adversário de vez em quando contra-atacar e fizeram um golo. Foi uma 2.ª parte de alguma descontração. Quem está lá dentro quando começa a sentir aquela facilidade em se instalar no meio-campo adversário… às vezes começa a dar descontração. Foi uma vitória justa. Procurámos jogar de uma forma diferente daquilo que é habitual, aproveitei para jogar em 4x4x2 e não é fácil jogar com este sistema, mas acho que a equipa esteve bem a sair a três, com os laterais a apoiar bem. Não havendo tempo para treinar acho que a equipa respondeu bem a esta alteração. Isso foi bom ver”

Golos sofridos

“Claro que me preocupa. Uma equipa que sofre nove golos em cinco jogos não pode deixar ninguém sem estar preocupado. Se há coisa que sempre fizemos bem foi lances de bola parada defensivos. Raramente sofríamos golos. Agora temos sofrido e já alertei os jogadores para isso porque para ganhar é preciso marcar golos mas também não se pode sofrer. Vamos ter de analisar. Hoje de manhã, que é uma coisa que até é raro fazer, mas durante 15 minutos fomos à academia só para trabalhar lances de bola parada, para acertarmos coisas”

Otávio

“O Otávio faz parte desse grupo de jogadores que esteve em campo e que na minha opinião durante 30 minutos esteve muito bem, muito bem”