Tribuna Expresso

Perfil

Seleções

O regresso a Portugal de um velho conhecido: “O meu português está muito complicado, é melhor não tentar. Estou feliz por estar de volta”

Ronald Koeman foi treinador do Benfica em 2005/06 e guarda "boas recordações de Portugal", onde está de volta, agora com a seleção holandesa, para as meias-finais da Liga das Nações, frente à Inglaterra (quinta-feira, 19h45)

Mariana Cabral

KOEN VAN WEEL

Partilhar

Não foi uma época particularmente memorável para os benfiquistas - terminaram em 3º, ainda que tenham chegado aos quartos de final da Liga dos Campeões -, mas Ronald Koeman só tem coisas boas a dizer de Portugal, onde passou a época de 2005/06, precisamente como treinador do Benfica.

"O meu português está complicado... O espanhol acho que é melhor. Mas este senhor aqui ao lado [assessor de imprensa da UEFA] disse-me que era melhor não tentar", gracejou, enquanto respondia em inglês aos jornalistas. "Estou feliz por estar de volta. Estive só um ano no Benfica, mas foi positivo, tenho boas recordações de Portugal", acrescentou.

O selecionador holandês também endereçou o que se diz ser o interesse do Benfica em Jasper Cillessen, guardião que terá rejeitado uma mudança para o campeonato português, por considerá-lo pouco competitivo. "Talvez seja menos forte, sim, se compararmos com Espanha ou Inglaterra, claro, mas também é uma boa competição e as equipas portuguesas dão-se bem na Europa", explicou Koeman, acrescentando um conselho para o guardião (suplente) do Barcelona: "Cillessen precisa é de jogar, de ter minutos. Mas ele é que sabe o que decidir".

Mais do que falar sobre o Holanda-Inglaterra, Koeman falou sobre os muitos jogadores que interessam aos grandes europeus, com o mercado agora aberto. E, sobre a incrível dupla de centrais da seleção holandesa, só teve elogios para distribuir. "Estamos muito felizes por ter alguém com tanta qualidade como De Ligt, que ainda é jovem. O Virgil [Van Dijk] tem mais experiência do que ele e ganhou agora o seu primeiro grande título", disse, referindo-se à Champions conquistada pelo Liverpool. "Para ser uma grande estrela no futebol, é preciso ganhar grandes títulos".