Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Ricciardi diz que não há condições para Bruno de Carvalho continuar: "Sinto-me envergonhado. Nunca vi isto, nem na América Latina”

Em declarações à CMTV, antigo membro do Conselho Leonino sublinha que está em causa “a situação patrimonial, económica e financeira” do clube, já que há razões para jogadores e treinador pedirem rescisão por justa causa

Expresso

Partilhar

José Maria Ricciardi, antigo membro do Conselho Leonino, que saiu em abril em conflito com Bruno de Carvalho, disse esta terça-feira em declarações à CMTV que “não há nenhuma condição” para que a direção do Sporting se “mantenha em funções e deve ser suspensa”. Ricciardi pediu ainda ao presidente da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, para “tomar medidas”, já que está em causa o “causa não só o prestígio do Sporting como o do futebol português”.

“O que se passa é inaceitável num clube com 112 anos de história e segue-se a acontecimentos sucessivos nos últimos 10 dias: as tochas no jogo dirigidas a Rui Patrício e as agressões nas garagens privadas em Alvalade”, disse, sublinhando que estas são “situações que foram permitidas com total incúria” por parte da direção liderada por Bruno de Carvalho.

Ricciardi sublinhou que o Sporting está em risco, na medida em que os acontecimentos desta terça-feira vão colocar em causa “a situação patrimonial, económica e financeira” do clube. “Há razões para os jogadores rescindirem por justa causa e o Sporting vai perder milhões e milhões por isto”.

“Sinto-me envergonhado, nunca vi isto, nem na América Latina, com todo o respeito que tenho pela América Latina. É inaceitável e não sei como é que vamos ter condições para jogar a final da Taça. Estou muito preocupado”, disse ainda.