Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

#BrunoDeCarvalho. O encantador de serpentes

Nelson Marques

José Carlos Carvalho

Partilhar

Chega a ser comovente o esforço que o deputado e ilustre sportinguista Helder Amaral faz para defender Bruno de Carvalho. Esta quinta-feira, na CMTV, o político do CDS viu nas imagens que mostram Fernando Mendes, ex-líder da Juve Leo, a ameaçar o jogador Acuña no aeroporto do Funchal a confirmação de que o presidente do Sporting “tem toda razão”. Para Amaral, a peça da estação confirma a origem dos incidentes de Alcochete: “Não há ali culpa dos jogadores ao confrontar o líder da claque?”, questiona. Onde é que já ouvimos este ignóbil argumento? Na boca do presidente do Sporting, pois claro.

No mesmo programa, Amaral foi confrontado com o SMS que o líder do clube enviou ao plantel depois da derrota em Madrid. “Boa tarde. Após o jogo do Paços vamos ter a conversa mais séria que vocês tiveram na vossa vida. Tenho 4 filhas e não tenho paciência para amuos ou falsos profetas. Vão perceber de vez o vosso lugar. Crianças amuadas não pertencem ao Sporting a não ser o da Covilhã. Abr”. O que disse o ilustre comentador sportinguista perante isto? Que o jogador que divulgou o SMS “não tem lugar no Sporting”. Bruno de Carvalho não faria melhor.

Helder Amaral no Parlamento

Helder Amaral no Parlamento

Foto Marcos Borga

Esta não é a hora de encontrar culpados para a crise do Sporting, afirma o deputado, ao mesmo tempo que desvia as atenções do presidente. Mas quem se preocupa com o futuro do clube não deveria sossegar enquanto algumas perguntas fundamentais continuam sem resposta. Por exemplo, porque é que, aparentemente, é normal que elementos da claque visitem a Academia do clube para falar com a equipa? Porque é que, perante a ameaça que ficou bem patente na Madeira, não foi reforçada a segurança no centro de estágios? Porque é que não foram fechados os portões se Ricardo Gonçalves, diretor de operações da Academia de Alcochete, foi avisado 14 minutos antes da invasão? E, já agora, porque é que terão sido dadas ordens para deixar entrar o automóvel que veio buscar Fernando Mendes, o homem que tinha ameaçado Acuña no Funchal? Sobre isto, aparentemente, Amaral não tem nada a dizer.

São estes factos que deviam indigná-lo: ter um presidente que hostiliza os jogadores, vira um grupo de adeptos (afetos à Juve Leo) contra eles, é incapaz de os proteger e ainda os responsabiliza pelas agressões de que foram alvo. Por cada associado que diz que Bruno de Carvalho está cada vez mais isolado, há um Helder Amaral que se levanta. Por cada Inácio que diz que o presidente do Sporting se deve demitir, há outro Inácio que aceita trabalhar com ele e ajudar a lavar-lhe a face. Por cada Nuno Saraiva que se cala no Facebook, há um Fernando Correia disposto a erguer a sua voz. E, enquanto isso, o Sporting está a atravessar a crise mais profunda da sua história, com a equipa e o treinador divorciados do presidente, uma massa adepta dividida e investigações judiciais por corrupção e apropriação de verbas indevidas na transferência de jogadores. Que ainda haja quem defenda Bruno de Carvalho é a prova de que o futebol é mesmo do domínio do irracional.