Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno de Carvalho diz que a sua candidatura terá mesmo de ser recebida - porque assim o diz uma providência cautelar

É Erik Kurdy quem lidera a lista de candidatura de Bruno de Carvalho às eleições do Sporting, e não o próprio, mas foi o ex-presidente dos leões a garantir, em conferência de imprensa realizada esta segunda-feira, que uma decisão da justiça obriga o clube a receber a candidatura, "sob pena de crime de desobediência"

Tribuna Expresso

NurPhoto

Partilhar

A conferência de imprensa em causa decorreu da seguinte forma - o formal candidato às eleições do Sporting, listado no papel como tal, a falar primeiro, durante poucos minutos, para depois conceder a palavra ao de facto, mas informal, candidato a ser presidente do clube de Alvalade, para que a candidatura que os possibilitou estarem ali seja, realmente, possível de ser apresentada.

Ora, e quando Bruno de Carvalho falou após Erik Kurgy dizer que é candidato, apenas, para "no próximo dia 8 de setembro, levar o presidente Bruno de Carvalho ao lugar que é seu por justiça", o destituído ex-líder do Sporting prosseguiu com o tema da justiça: Hoje, para nosso gáudio, fez-se justiça e obtivemos, de uma providência cautelar colocada, a obrigatoriedade do Sporting Clube de Portugal de receber a nossa candidatura, sob pena de crime de desobediência”.

O antigo presidente dos leões garantiu que a documentação da candidatura "será entregue aos serviços, com a marcação formal a ser feita". Explicou que ficarão a aguardar "os desenvolvimentos dessa entrega” e que "renasceu um pouco" esta segunda-feira, porque "a justiça tarda, mas não falha".

Eis algumas das intervenções de Bruno de Carvalho durante a conferência de imprensa:

"Nesta equipa somos como um só. Todos sabemos que o verdadeiro interesse é o Sporting Clube de Portugal, pelo que peço a todos os associados que acreditam em mim, e nesta candidatura, a continuidade da mobilização e da união de esforços, para que o Sporting seja sempre deles, e para eles."

"É uma vitória do Sporting, não pessoal. Nunca tive uma questão pessoal no Sporting, mas sempre uma questão de missão. Ficámos extremamente satisfeitos por a justiça, finalmente, começar a dar razão. Neste momento, a opinião de Jaime Marta Soares não é, minimamente, interessante. Está obrigado pela lei a aceitar a candidatura, se não a receber, comete crime. Ele que não se arme em santo."

"Tenho pena da cobardia demonstrada por todas as candidaturas, devido à luta pela democracia. Hoje foi uma vitória para a democracia e uma derrota para todos os candidatos que não queriam esta candidatura. Vai ser um dia de regozijo nosso. Aquele que, legitimamente, estava eleito pelos sportinguistas, está de volta e isso vai obrigar, de certeza, a grandes estratégias. A cobardia, agora, tem de acabar. Vão ter de me enfrentar."