Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

O último comunicado da Comissão de Fiscalização do Sporting recomenda “vivamente” a expulsão de Bruno de Carvalho (e expulsa Elsa Judas)

A Comissão de Fiscalização do Sporting, presidida por Henrique Monteiro, vai cessar funções este sábado, quando for eleito um novo Conselho Fiscal e Disciplinar, mas divulgou antes um último comunicado a recomendar a expulsão de sócio de Bruno de Carvalho e a anunciar as expulsões de Elsa Judas e Trindade Barros

Tribuna Expresso

RODRIGO ANTUNES

Partilhar

Antes de dizer adeus ao clube, a Comissão de Fiscalização do Sporting deixou uma forte recomendação: "Os membros desta CF não ficariam bem com a sua consciência se, no entanto, não recomendassem vivamente – e tendo em conta as continuadas violações regulamentares e estatutárias, a instabilidade criada com factos falsos e os ataques constantes aos órgãos sociais legítimos do SCP – a expulsão de Bruno de Carvalho e de Alexandre Godinho."

A Comissão presidida por Henrique Monteiro cessa funções sábado, dia de eleições no Sporting, depois de já ter decidido nas últimas semanas "uma sanção de suspensão de um ano para o ex-presidente Bruno de Carvalho e de 10 meses para todos os outros membros", devido à criação de órgãos não previstos estatutariamente.

Ainda assim, uma vez que vai cessar funções, a Comissão Fiscalizadora não irá decidir o processo instaurado "aos ex-membros do CD visando o comportamento destes durante e nos tempos subsequentes à AG de dia 23 de Junho", pelo que recomenda ao novo Conselho Fiscal e Disciplinar que expulse o ex-presidente.

A Comissão de Fiscalização anunciou também que decidiu expulsar Elsa Judas e Trindade Barros de sócios do Sporting, tendo já informado ambos da decisão.

O comunicado da Comissão de Fiscalização, na íntegra

"Comunicado Final da Comissão de Fiscalização do Sporting Clube de Portugal

Realizam-se amanhã eleições para todos os órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal. A palavra será devolvida aos sócios a quem o clube pertence. Um ato que foi aquele que motivou que um conjunto de sportinguistas com sacrifício das suas vidas pessoais, sem nada receber em troco exceto a reposição da legalidade, dos valores e da dignidade que há 112 anos nortearam a fundação do que é, desde então, o mais eclético e abrangente de todos os clubes portugueses.

Assim sucedeu com esta Comissão de Fiscalização nomeada por aquele que representava a totalidade dos sportinguistas, o presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Como é público, e já comunicámos noutras ocasiões, começámos a trabalhar de forma não remunerada, muitas vezes a expensas do nosso tempo familiar e de lazer, por sentido de dever cívico e por devoção ao nosso clube e aos seus sócios e trabalhadores. Apesar disso sofremos a feroz oposição do mais tarde demitido Conselho Diretivo, nomeadamente do seu presidente, sendo inclusive apelidados ‘Pelotão de Fuzilamento’. O mesmo presidente que não se coibiu de chamar ‘terrorista’ ao presidente desta Comissão e indicar três dos seus membros como ‘piores’ do que agentes da PIDE. Saliente-se que nenhuma destas ofensas contra a CF foram tidas em conta no processo disciplinar, o que militou a favor dos visados.

Sem se desviar da sua tarefa, a CF analisou as violações sucessivas dos Estatutos e regulamentos do demitido CD e, no passado dia 2 de agosto, exarou uma sanção de suspensão de um ano para o ex-presidente Bruno de Carvalho e de 10 meses para todos os outros membros, à exceção de Luís Roque que, devido a provas atenuantes demonstradas, ficou com uma pena disciplinar de repreensão registada.

Os factos que levaram a tais medidas, além de outros aspetos, têm como fundamento a criação de forma abusiva por aquele Conselho de órgãos não previstos estatutariamente. Esses órgãos baseavam-se em pareceres jurídicos sem fundamento elaborados por aquela que viria a ser a presidente da chamada CTMAG, Elsa Judas, no que foi coadjuvada por outro jurista e professor de leis, Trindade Barros. Uma Nota de Culpa foi emitida contra os participantes nesses órgãos fictícios, tendo a CF votado a expulsão do clube desses dois membros que, como especialistas em Direito, não podiam desconhecer o dolo, o dano e o prejuízo que causaram ao clube e a confusão e perplexidade criada aos seus sócios. Para tanto, militou também o facto de, à data da assunção de funções, não terem as suas quotas regularizadas.

Os visados já foram notificados da sanção.

Outra Nota de Culpa foi, entretanto, enviada aos ex-membros do CD visando o comportamento destes durante e nos tempos subsequentes à AG de dia 23 de Junho. Os prazos legais para oposição esgotaram-se ontem, tendo diversos ex-membros do CD apresentado as suas defesas.

No entanto, não pode por razões de tempo este CF terminar o processo, vendo-se obrigado, tal como fará a outros, a deixar as decisões no Conselho Fiscal e Disciplinar a ser eleito amanhã, confiando que os superiores interesses do Sporting Clube de Portugal serão sempre o farol daqueles que o vierem a compor (quaisquer que sejam os vencedores).

Os membros desta CF não ficariam bem com a sua consciência se, no entanto, não recomendassem vivamente – e tendo em conta as continuadas violações regulamentares e estatutárias, a instabilidade criada com factos falsos e os ataques constantes aos órgãos sociais legítimos do SCP – a expulsão de Bruno de Carvalho e de Alexandre Godinho, distinguindo negativamente a ação destes em relação a todos os outros membros do demitido CD. Obviamente, esta recomendação tem em conta os dados apurados até ao momento e não põe em causa, e menos desautoriza, outras medidas que os eleitos do CFD entendam por bem tomar.

A Comissão de Fiscalização deseja a todos os órgãos sociais que forem eleitos amanhã e, em especial, ao Conselho Fiscal e Disciplinar, as maiores felicidades. Destes últimos ficamos à disposição para, depois de lhe entregarmos o relatório da nossa atividade, prestarmos os esclarecimentos e qualquer colaboração considerada necessária.

O CF, tal como todos os órgãos sociais deste interregno, pautou-se pela defesa dos interesses do Sporting Clube de Portugal e está certo que, neste virar de página, o mesmo se passará com os vindouros, para que com esforço, dedicação e devoção, retomemos a glória de sermos sportinguistas.

Viva o Sporting Clube de Portugal!"