Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

"Começámos a vencer o adversário mais terrível que já tivemos, o Sporting fraturado"

Na cerimónia de investidura de Frederico Varandas e restantes membros eleitos dos novos órgãos sociais, o novo presidente do Sporting discursou durante cerca de cinco minutos, talvez guardando palavra para a entrevista que vai conceder à Sporting TV, na mesma noite

Tribuna Expresso

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Partilhar

Findo o discurso, alongado por mais de 10 minutos, de Jaime Marta Soares, com o qual o já ex-presidente da Mesa da Assembleia Geral se despediu das funções - e aproveitou, pedindo desculpas pelo tempo demorado, para desabafar sobre o que sentiu, sente e sentirá após este período tumultuoso no Sporting -, seguiu-se a cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais, eleitos no sábado.

Um a um, as pessoas foram investidas nos seus respetivos cargos, formalizando a ocasião com a respetiva assinatura, em cima do palco do Auditório Artur Agostinho, no Estádio José Alvalade.

O último dos empossados a subir ao palco e a assinar o auto de investidura, naturalmente, foi Frederico Varandas, o novo presidente do Sporting Clube de Portugal.

Uma vez lá, o 43º líder do clube de Alvalade tomou a palavra, a primeira vez como o, de facto, empossado novo presidente, para se dirigir aos sócios e adeptos leoninos. Eis uma transcrição de grande parte do discurso de Frederico Varandas:

"A minha primeira palavra vai para todos os elementos dos órgãos sociais que, nestes meses conturbados, mantiveram o clube vivo, a funcionar e a vencer. O meu obrigado por termos o privilégio de receber o clube no estado em que vamos receber.

Foi com total espírito de missão que estes senhores se candidataram ao Sporting Clube de Portugal. Vão desempenhar as suas funções com brio, responsabilidade e coragem - e, sobretudo, com a noção de que vão servir o melhor clube do mundo.

Nasci Sporting, cresci Sporting, respiro Sporting, mas não sou o Sporting. A minha missão é servir o Sporting Clube de Portugal e a primeira prioridade é unir o Sporting. Ontem começámos a vencer o adversário mais terrível que já tivemos na nossa história - o Sporting fraturado. Hoje é uma nova era de um Sporting unido.

Quero dar e tenho que dar o exemplo. Se consigo unir um sócio que possa acreditar que tenha exagerado na linguagem, então vocês conseguem-se unir com quem quer que seja. Só unidos vamos conseguir batermo-nos com os nossos rivais.

É um dia especialmente emocionante para mim [vieram-lhe algumas lágrimas aos olhos, neste momento]. Não me vou alongar mais. Virámos uma página, o passado ficou para trás, o futuro é nosso, é vosso, é do Sporting Clube de Portugal.

Viva ao Sporting Clube de Portugal!"

  • Frederico Varandas ganhou com 42,32% dos votos: "É um momento histórico para mim"

    Sporting

    Numa votação histórica em Alvalade, o antigo diretor clínico do Sporting foi eleito o 43.º presidente do clube, batendo a concorrência de João Benedito (36,84%) que, ainda assim, teve mais sócios a votar nele do que em Varandas. A diferença esteve na antiguidade da filiação que garante mais votos. No momento de subir ao palco, Varandas agradeceu aos candidatos concorrentes, pediu a Benedito para não se afastar do clube, e deixou uma promessa, ao retirar a medalha de vice-campeão da Taça de Portugal: "Vou juntar a medalha de campeão nacional. Prometo"

  • O discurso de vitória de Varandas: "Guardo a medalha de vice da Taça de Portugal desde a final. Vou juntar a de campeão nacional. Prometo"

    Sporting

    Frederico Varandas subiu ao palco, deu os parabéns aos outros candidatos derrotados, especialmente a João Benedito, "que nunca deve afastar-se do clube, pois faz parte da história do clube". E também pediu união entre todos os sportinguistas, mesmo na discórdia. E, no final, tirou do bolso algo que garantiu andar com ele desde o dia 20 de maio: a medalha de vice-campeão da Taça de Portugal que o SCP perdeu contra o Desportivo das Aves após os incidentes de Alcochete