Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno Fernandes e o ataque de Alcochete: "Se a Polícia não me parasse à saída da Academia, eu tinha ido embora e não tinha voltado mais"

O capitão do Sporting deu uma longa entrevista à revista "GQ", em que admite ainda que tinha tudo acertado com o Tottenham e que só não saiu porque o clube travou a transferência. Ainda assim, diz-se motivado para continuar em Alvalade

Tribuna Expresso

Quality Sport Images

Partilhar

Numa longa entrevista à revista "GQ", Bruno Fernandes admite que já tinha tudo acertado com o Tottenham, mas que o Sporting travou a transferência.

"O Tottenham fez várias propostas por mim. Estava tudo acertado comigo - ou praticamente. Nunca fiz grandes exigências", revela. "Era e é um objectivo meu jogar em Inglaterra, o Sporting sabe disso, toda a gente sabe disso, e havia condições para que as coisas fossem feitas. Mas o Sporting entendeu que o valor não era suficiente e tenho de respeitar a decisão".

Bruno Fernandes diz, no entanto, que a motivação para jogar no Sporting não se alterou: "Qualquer jogador tem de se sentir motivado para continuar num clube como o Sporting, um grande clube, que luta por objectivos. Iria sair do clube no dia em que os meus objectivos não fossem compatíveis com os do Sporting, mas continuam a sê-lo. Ter o sonho de jogar em Inglaterra não impede a continuidade no Sporting".

"Tenho de me sentir lisonjeado por o Sporting não aceitar valores que para o clube são baixos. Tem de ser um orgulho o clube achar que eu valho mais", sublinha ainda.

O trauma de Alcochete

Na entrevista, o capitão do Sporting faz ainda pela primeira vez algumas revelações sobre a invasão a Alcochete e de como esteve muito perto de decidir deixar o Sporting minutos após o ataque.

"Se senti medo? Sim, Nesse dia se não fosse a Polícia, eu tinha-me ido logo embora. Vesti-me e disse, 'foi um prazer jogar convosco', saí e quando estou a deixar as instalações chega um carro da Polícia que me pára e diz que tenho de prestar declarações e que não podia sair. Mas até já tinha ligado para a minha mulher a dizer-lhe para arranjar as coisas que íamos arrancar para o Porto", diz.

"Se a Polícia não me parasse à saída da Academia, eu tinha-me ido embora e não tinha voltado mais, nem sequer tinha jogado a final da Taça de Portugal", garante ainda, sublinhando que os jogadores do Sporting foram pressionados para fazer o jogo, algo que não deviam ter permitido: "Foi um erro nosso, não devíamos ter jogado esse jogo. Culpo-nos a nós jogadores, porque cedemos à pressão que existiu tanto da parte da FPF como do Sindicato dos Jogadores".

Bruno Fernandes acabou por rescindir com o Sporting, mas voltaria ao clube. E não se arrepende de ambas as decisões.

"Não me arrependo de ter rescindido na altura e voltei para trás porque achei que seria o melhor para mim. Tive um período difícil no início, mas já esperava que a reacção de parte dos adeptos não fosse a melhor. Mas não me arrependo porque tive a melhor época da minha carreira".