Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Viviano: "Estou mais ou menos de férias, mas férias que nunca quis"

O guarda-redes italiano nunca jogou um minuto oficial pelo Sporting, mas foi inscrito na Liga pelo clube no fecho do mercado de transferências. Em entrevista ao "Corriere dello Sport", desabafou que o tempo que está a passar em Lisboa tem sido quase sinónimo de descanso

Tribuna Expresso

Gualter Fatia/Getty

Partilhar

Emiliano Viviano chegou com uma barriga proeminente, um bigode vistoso e ainda esteve entre os postes em alguns jogos de preparação do Sporting, na pré-época passada, e nunca mais o vimos. O guarda-redes italiano chegou ao Sporting quando o Sporting era um turbilhão de indefinições, assembleias gerais, eleições e rescisões de contratos. No meio de tudo isso, também não ajudou a lesão que sofreu logo no arranque da vida no clube.

Chegou ao Sporting em junho do ano passado, o Sporting mudou de presidente (duas vezes), trocou de treinador e não mais se avistou o italiano. A meio da temporada foi emprestado ao Spal, da Séria A, fez 17 jogos, a época terminou e Viviano passou quase despercebido, entre os pingos da chuva, até a Liga de Clubes publicar a derradeira atualização das inscrições de jogadores enviadas antes do fecho da janela de transferências de verão: "Emiliano Viviano Inclusão Plantel Sporting CP - Futebol, SAD".

De repente, o guarda-redes, de 33 anos, retornou ao radar mesmo que não tenha regressado aos treinos da equipa. E também voltou a falar. "Estou mais ou menos de férias em Lisboa, mas férias que nunca quis", disse, em entrevista "Corriere dello Sport" citada, esta terça-feira, pelo "Record".

Viviano explicou, contudo, que a culpa é de ninguém. "Não é minha nem do Sporting. Refiro-me à direção de hoje, não a do passado [Viviano foi contratado durante o mandato de Bruno de Carvalho]. Quando os novos órgãos sociais chegaram, eu estava lesionado, logo foram feitas outras escolhas e com o tempo tornei-me um excedentário", explicou.