Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Alcochete: Bruno de Carvalho começa a ser julgado a 18 de novembro

Ex-presidente do Sporting e os restantes 43 arguidos sentam-se no banco dos réus do Tribunal de Monsanto para responderem perante uma série de crimes resultantes da acusação da invasão à Academia do Sporting, em maio de 2015

Pedro Candeias

Joao Girao

Partilhar

O julgamento do caso Alcochete irá começar no dia 18 de novembro, uma segunda-feira, e irá prolongar-se ate 31 de janeiro, embora se admita que o prazo possa vir a ser alargado. A juiza encarregue é Sílvia Rosa Pires. O tribunal de Monsanto, sabe a Tribuna Expresso, é o local escolhido para o efeito e será nele que Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting e - inquestionavelmente - a figura mais mediática de entre os 44 arguidos do processo irá responder por ter ordenado o ataque à Academia, em maio de 2018, segundo o juiz Carlos Delca.

Os arguidos serão julgados por crimes de ameaça, ofensas à integridade física e sequestro, que enquadram o crime de terrorismo, mas também detenção de arma proibida, introdução em lugar vedado ao público e dano com violência. Nos incidentes de Alcochete, de 15 de maio de 2018, resultou em agressões e alguns ferimentos a jogadores (Bas Dost, Acuña, William Carvalho e Patrício), treinador (Jorge Jesus, que, entretanto, deixou o clube) e funcionários.

Caso de Alcochete. Juiz senta Bruno de Carvalho e todos os arguidos no banco dos réus

Decisão instrutória mantém todos os termos da acusação. Só Nuno 'Mustafá' Mendes, o líder da Juventude Leonina, ficará em prisão preventiva