Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Leonel Pontes queixa-se dos ataques a Bruno Fernandes: "É o mais massacrado em termos de faltas e agressividade"

A análise de Leonel Pontes ao Boavista-Sporting (1-1), da 5ª jornada da Liga

MIGUEL RIOPA

Partilhar

O jogo

"Foi um jogo equilibrado. Sabíamos que o Boavista ia defender, baixar as linhas e jogar no nosso erro. Foi assim que sofremos, numa perda de bola em que tivemos de fazer falta e o Boavista marcou. Reagimos bem a esse golo, mas não tivemos qualidade ofensiva na primeira parte, sobretudo no corredor esquerdo.

Faltaram dinâmicas porque o Acuña nunca jogou ligado aos companheiros, ao Bolasie e a outros jogadores. Na segunda parte corrigimos algumas coisas, começámos a atacar mais por fora e criámos algumas situações de golo. Em função do que foram as oportunidades de golo, acho que podíamos justificar a vitória."

2ª parte mais produtiva

"Estivemos mais esclarecidos, sem cometer tantos erros na construção, e obrigámos o adversário a baixar mais no terreno, com mais bola na área. Jogámos no espaço interior mais perto da área e a partir daí ganhámos muitas faltas."

A expulsão de Bruno Fernandes

"Temos um dos melhores médios portugueses da atualidade, que é o mais massacrado em termos de faltas e agressividade. As coisas passaram um pouco impunes. O lance não é para expulsão. É uma decisão do árbitro. Tenho de respeitar. Não falo da expulsão, mas sim das faltas que sofreu. Se queremos os melhores dentro de campo, temos de os proteger e o Bruno não foi protegido.

Não falo da expulsão, falo antes, do número de faltas que o Bruno Fernandes sofreu e ele não foi protegido neste jogo. O caminho é preparar o jogo com o PSV, ver como estão os jogadores e preparar a estratégia para o jogo."