Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Sporting confirma agressões a dois membros da direção, mas “não irá ceder”

Em comunicado, clube associa atos a membros da claque Juventude Leonina. Miguel Afonso foi “agredido ao pontapé” e Filipe Osório de Castro “alvo de insultos e tentativa de agressão”

João Pedro Barros

Agressões ocorreram em paralelo com manifestações contra Frederico Varandas em Alvalade

Tiago Petinga

Partilhar

Este domingo foi (mais) um dia tenso em Alvalade. A contestação ao presidente Frederico Varandas terá redundado em agressões a dois elementos da direção do Sporting, de acordo com um comunicado do clube, após um jogo de futsal disputado no pavilhão dos leões, em que o Benfica foi batido por 2-0.

Miguel Afonso, vogal da direção do Sporting Clube de Portugal, “foi agredido ao pontapé por pessoas identificadas com adereços da Juventude Leonina”, enquanto o vice-presidente Filipe Osório de Castro “foi alvo de insultos e tentativa de agressão”.

“Numa altura que ainda decorre o julgamento de Alcochete e que o Sporting Clube de Portugal tenta ultrapassar os momentos extremamente violentos e traumáticos a que foi sujeito é, mais uma vez, atacado. Desta vez, até uma menor é insultada, cuspida, humilhada”, pode ler-se no comunicado.

A menor a que o texto se refere é a “filha adolescente” de Miguel Afonso, que terá sido “cuspida e insultada”. As agressões terão acontecido quando ambos faziam “o corredor de acesso aos elevadores, já dentro do Estádio de Alvalade”. Quanto à tentativa de agressão ao vice-presidente leonino, “os episódios cobardes e lamentáveis ainda se repetiram com um Assistente de Recinto Desportivo que foi alvo de agressões”.

Tudo isto sucedeu no dia em que centenas de adeptos do Sporting se juntaram no exterior do Estádio de Alvalade, antes do jogo de futebol da Liga portuguesa frente ao Portimonense (2-1), para pedir a demissão do presidente Frederico Varandas.

O Sporting “repudia mais um episódio de violência ocorrido nas instalações de Alvalade” e, no texto assinado pela direção leonina, promete tomar ações. De acordo com o “JN”, o clube vai apresentar uma queixa-crime contra os alegados autores destes atos.

“Perante as agressões, a violência, as ameaças e os insultos o Sporting não irá ceder. Isto não é o Sporting. Tomaremos as medidas necessárias e defenderemos os sócios, as famílias e todos aqueles que, sob o signo do Leão, vivem e apoiam sempre o seu clube, com os valores que fazem parte do ADN do Sporting Clube de Portugal”, conclui o comunicado.