Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Pinto da Costa vai ser ouvido por videoconferência no julgamento de Alcochete

Pinto da Costa, testemunha arrolada pela defesa de Bruno de Carvalho, será ouvido na terça-feira no Tribunal de Monsanto. Na sexta-feira, será a vez de José Sousa Cintra

tribuna expresso e lusa

Paulo Duarte

Partilhar

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, vai ser ouvido terça-feira por videoconferência, enquanto testemunha arrolada pela defesa de Bruno de Carvalho, no processo de invasão à Academia do Sporting, depois de a juíza ter aceitado o pedido.

Pinto da Costa avançou com o pedido, que acabou por ser aceite pela juíza Silvia Pires, conforme confirmado pela própria no final da sessão de hoje.

O julgamento prossegue na sexta-feira com a audição, entre outras testemunhas, de José Sousa Cintra, que liderou o clube entre 1989 e 1995 e ocupou a presidência da SAD durante dois meses, por nomeação, após a saída de Bruno de Carvalho.

O processo, que está a ser julgado no tribunal de Monsanto, tem 44 arguidos, acusados da coautoria de 40 crimes de ameaça agravada, de 19 crimes de ofensa à integridade física qualificada e de 38 crimes de sequestro, todos estes (97 crimes) classificados como terrorismo.

Bruno de Carvalho, à data presidente do clube, 'Mustafá', líder da Juventude Leonina, e Bruno Jacinto, ex-oficial de ligação aos adeptos do Sporting, estão acusados de autoria moral de todos os crimes.

“Foi horrível. Lembro-me de lhe ter dito: 'Por favor, não me deixes aqui, estou com imenso medo'”

Em declarações esta quarta-feira no julgamento do ataque à Academia do Sporting, o avançado holandês admitiu que teve de ir ao psicólogo após as agressões de que foi alvo e confessou que nem as conquistas das Taças na época seguinte o deixaram feliz