Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Sporting. “O pai dele veio cá, bateu à porta, um barulho do caraças. Foi uma cena triste”: a “novela” Rafael Leão, por Sousa Cintra

Ao jornal “Record”, Sousa Cintra diz que o avançado só não regressou a Alvalade, depois de ter rescindido, porque “foi apertado”

Tribuna Expresso

Marco Canoniero

Partilhar

Sousa Cintra, que presidiu a SAD na comissão de gestão do Sporting, na transição de poder de Bruno de Carvalho para Frederico Varandas, contou ao jornal "Record" alguns dos pormenores que rodearam aquilo que ele chama de "novela" Rafael Leão.

Segundo Cintra, Rafael Leão, que rescindira com o Sporting no âmbito da invasão a Alcochete, estava disposto a regressar a Alvalade, o que não aconteceu porque foi "apertado". Pelo pai e pelo tio. "O rapaz chegou a assinar a carta para o Lille. Ele queria o Sporting. Era uma questão de minutos. Só que os advogados demoraram um bocado de tempo a fazer o contrato".

"Depois", revela Cintra, "o pai, o tio e o empresário vieram cá e fizeram aquela cena toda. Foi uma grande novela. Apareceu cá o pai a bater à porta, um barulho do caraças. Foi uma cena triste. O filho era maior e vacinado, podia perfeitamente ter assinado, como era seu desejo. Disseram-me que vinham no dia seguinte, mas não apareceram mais. As outras pessoas é que o levaram a fazer o que ele fez. Ele não continuou no Sporting porque foi apertado".