Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

"Há dois dias fui ao Google ouvir as escutas do Apito Dourado. Um bandido será sempre um bandido e recordado para sempre como um bandido"

Frederico Varandas respondeu às críticas feitas por Jorge Nuno Pinto da Costa na saída da equipa para os Açores, onde o Sporting defronta no sábado o Santa Clara. E foi cáustico

Tribuna Expresso

ANTONIO COTRIM/EPA

Partilhar

Os valores

"O presidente do FC Porto não me respondeu por causa do penálti. O presidente do FC Porto responde porque tocámos no ponto fraco, na sua ferida, que são os valores. Valores que o Sporting tem e que ele não tem. O senhor Pinto da Costa está habituado a ter do outro lado pessoas com telhados de vidro ou com pouca coragem, o que não é o caso deste Sporting. Sobre o que ele disse, sobre o ataque a Alcochete, é lamentável ver o senhor Pinto da Costa a colar-se, a defender quem fez aquele ataque. Demonstra muito do que é enquanto homem e a sua índole"

O Apito Dourado

"Ele diz que é mais um processo em que muitos portugueses são arguidos mas não houve condenação. Mas há um pormenor: há dois dias fui ao Google e ouvi as escutas. E ouço Pinto da Costa a dizer tudo o que disse. Desafio todos os comentadores e jornalistas a ouvir novamente as escutas e perguntem-lhe o que ele acha. Se as escutas podiam ser válidas ou não, isso é problema da Justiça. Outra coisa é o que ouvimos e o que ele fez. Num país de primeiro mundo Pinto da Costa não podia ser dirigente do que quer que fosse. Falando para todos os sócios do Sporting, sei que eles merecem há décadas ouvir isto...

E o humor

"Pinto da Costa pode ter um grande sentido de humor, ser uma pessoa acima da média culturalmente e um currículo com muitas vitórias, mas um bandido será sempre um bandido e no final um bandido será sempre recordado como um bandido. Quando ele se retirar, ou for obrigado a retirar-se, prestará um grande serviço ao futebol português e contribuirá para que o país seja de primeiro Mundo"