Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

Amorim e os processos disciplinares: "Vou acabar o 4.º nível, despachar isso e então já não será um problema"

Questionado sobre a quantidade de processos que tem sido alvo, o treinador do Sporting diz que a situação mudará em breve, quando terminar o último nível. Sobre o Nacional, o adversário de quinta-feira, Rúben Amorim lembra que é uma equipa "muito bem organizada, com um treinador de qualidade" e que o mau tempo previsto para a Madeira poderá ser um fator a ter em conta

Tribuna Expresso

Pedro Zenkl/Sporting

Partilhar

Preparação especial para o Nacional

“Preparação especial não está a ser feita, pensamos jogo a jogo e os melhores vão jogar este jogo. O que podemos esperar é um Sporting igual ao que tem sido, com uma excelente atitude, que conhece bem o adversário e sabe ainda das limitações que tem. Vai ser um jogo difícil contra uma equipa muito bem organizada, com um treinador de qualidade e num dia como já sabemos em que poderá haver uma tempestade na Madeira. Já tivemos essa experiência com o B SAD e também nos estamos a preparar para um terreno diferente e tentar adaptar ao vento. Vamos ser muito competitivos”

Mercado

“O mercado é com a estrutura do clube. Penso contar com os jogadores que tenho, estou muito contente com eles e neste momento estão praticamente todos preparados para o jogo com o Nacional, para os jogos seguintes e isso é o mais importante”

Empate do Benfica

“Não vi o jogo. Soube do resultado no fim. Já temos muito trabalho no Sporting e se não nos libertarmos um bocado daquilo que é o futebol… também temos as famílias, os treinos para preparar, os jogos, a formação para acompanhar. Não dá para acompanhar os rivais. Vi vários jogos do Nacional. Se a equipa técnica e os jogadores do Sporting estiverem distraídos com os jogos dos rivais vão ter muitos problemas porque o Nacional é uma boa equipa, muito organizada e vai ser um jogo muito complicado”

Preparados para uma derrota?

“Penso que há coisas que só vivendo vamos estar preparados. Não há que pensar nisso, é tentar adiar isso ao máximo. No espaço de uma semana temos dois jogos para o campeonato e a meio um da Taça em que podemos comprometer tudo, porque são seis pontos e um jogo da Taça. Não nos podemos preparar para perder. Talvez eu e a equipa técnica possamos pensar em algo, mas são coisas que só vivendo é que sabemos ao certo. A preparação é no próximo jogo e é nisso que estamos focados”

Nacional, pontos fortes

“É uma equipa muito organizada, que tem várias variantes, que tem uma saída a três com os médios que jogam de diferentes formas, podem jogar com homens diferentes na frente. O Rochez pode jogar com o Riascos que muda completamente a forma de jogar do Nacional. Tem o Ruben Micael, muito experiente, o Camacho, o seu capitão, também muito forte, dois laterais muito ofensivos, uma forma de atacar que encaixa na nossa forma de defender. Temos de estar preparados para o jogo ser um bocado diferente por causa das condições climatéricas, estamos preparados para um jogo mais direto, muita atenção nas bolas paradas”

Candidatos ao título

“Somos candidatos a vencer o próximo jogo. Faltam 22 jornadas e 22 jornadas é um mundo. Nós numa semana podemos perder seis pontos e ser eliminados na Taça. O que queremos é vencer este jogo para podermos ser líderes mais duas semanas. Mesmo neste mês não podemos pensar numa preparação à frente. Pensar no Nacional, depois Marítimo, é a melhor forma de levar isto”

Matheus Reis

“Só comento os jogadores do Sporting ou adversários do Sporting. Os jogadores da equipa B têm de estar preparados, são ativos do Sporting e têm de estar preparados para ajudar o clube. Nós temos o nosso plantel neste momento mas ninguém sabe o dia de amanhã. O importante é que sabemos quem está disponível para este jogo”

Processos disciplinares

“Tenho mais visibilidade no Sporting. Mas é algo que vai acabar porque eu vou acabar o 4.º nível, vou despachar isso e já não será um problema”

Mau tempo

“O Sporting não pressiona ninguém, se houver poças, piscinas… isso é uma decisão do árbitro de acordo também com as duas equipas e se houver essa situação o Sporting dará a sua opinião”

Flutuações nas exibições

“Os adversários jogam bem, os treinadores são muito inteligentes e também as equipas e jogadores têm os seus momentos. Nós com o Gil Vicente tivemos muita dificuldade em criar jogadas para finalizar e três dias depois com o Tondela foi o que foi. Preocupo-me em trabalhar, o futebol é assim. No futebol às vezes um clique não tem nada a ver com o treino do dia anterior, tem a ver com coisas que não controlamos. A nossa ideia é sempre igual, a qualidade de jogo pode mudar com a inspiração dos jogadores, como tenho dito”