Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Sporting

Rúben Amorim e as críticas da Associação de Treinadores: "O Miguel Oliveira não tem carta de condução e safa-se muito bem na sua vida"

O treinador do Sporting já está inscrito no nível IV pelo que pode já aparecer na ficha como técnico principal, o que levou a Associação de Treinadores a dizer que "quem anda a tirar a carta de condução, não está apto para conduzir". De resto, na preparação para o encontro contra o Rio Ave, Amorim diz que a derrota contra o Marítimo não mostra que a equipa tenha menos estofo

Tribuna Expresso

José Lorvão/Sporting

Partilhar

Regresso ao campeonato

“O Sporting vai apresentar-se na máxima força, dentro do possível, porque tivemos agora alguns casos que alteraram a nossa preparação, mas temos outros jogadores. Tivemos mais um dia para preparar o jogo, vamos estar na máxima força com uma equipa mais que capaz para vencer uma equipa com bons valores, com um treinador que eu já conhecia desde os tempos dos sub-23, porque acompanho a competição. Um treinador com boas ideias. Também perderam como nós e vão querer emendar isso”

Reação à derrota

“Fazemos sempre all in para o próximo jogo. Em tantos jogos temos duas derrotas e estamos fora de duas competições… mas são competições a eliminar, pode acontecer. Podemos ganhar a todas as equipas como perder. Não vejo isso como uma questão de estofo, o que aconteceu na Madeira foi que geralmente somos eficazes, ali poderíamos ter resolvido o jogo na 1.ª parte. Não resolvemos, o jogo complicou-se e não conseguimos dar a volta. Parabéns ao Marítimo. Não vejo isso como ter mais ou menos estofo, numa semana não podemos mudar a avaliação em relação à equipa do Sporting. Mas é um facto, duas derrotas e são duas competições que ficaram pelo caminho”

Inscrição no nível IV

“Não muda muito na nossa rotina, acho que alivia um bocado o Emanuel [Ferro], porque acho que é uma situação ingrata ter de falar pelo treinador principal. Também porque as duas competições em que saímos foi o Emanuel que deu a cara no final e eu acho que isso não é justo, sou eu que tenho de dar a cara. No campeonato sou eu que venho aqui, mas nos jogos com o LASK e na Taça, pelos regulamentos, foi o Emanuel que deu a cara. Acho que isso não é justo. Isso da carta de condução… o Miguel Oliveira não tem carta de condução e safa-se muito bem na sua vida, vale o que vale, o que eu quero é ganhar ao Rio Ave. É um ponto importante na minha carreira, tenho de admitir, porque me deu muitos problemas, mas se eu ganhar ao Rio Ave estou bem, seja no banco ou de pé”

Mudanças na semana de trabalho?

“Foi uma semana diferente porque não estamos habituados a perder e isso mexeu com o grupo. Preparámos bem o jogo, sem muito tempo para treinar mas preparámos bem, tivemos a situação a seguir ao treino, voltámos a mudar. Nesse aspeto foi diferente, de resto não, os jogadores só têm de pensar em ganhar ao Rio Ave porque o resto não é problema deles”

Trocas no onze na Taça

“Nós não perdemos o jogo pelos jogadores que mudámos. O nosso objetivo é ganhar e eu meto a melhor equipa. Agora eu não me esqueço de onde estou e qual é o projeto: se nós temos jogos de dois em dois dias e eu não vou colocar jovens quando é que eles vão jogar? O principal objetivo é ganhar os jogos, mas estamos num projeto em que os jogadores precisam de oportunidades. O Neto está com covid-19, vai jogar o Queresma, essa é a nossa forma de ver as coisas. Nós ganhámos ao B SAD jogando muito pior que contra o Marítimo, não fizemos foi golos. Confio nos jogadores”

Vale mais agora no nível IV?

“O valor de mercado vê-se pelas derrotas e hoje se calhar valho menos porque perdemos o último jogo e fomos eliminados para a Taça. Não penso nisso nem me interessa. É um marco importante para a minha carreira, fiz por isso, o Sporting merece isso, estou dentro das regras e agora quero seguir com o meu trabalho e não penso no valor porque não penso sair do Sporting”

Problemas no ataque

“O Luiz Phellype ainda não está em condições de jogar, temos de ver como é que ele se sente, com todos os cuidados. Ainda não está apto. Metemos o Coates porque é um jogador alto e pareceu-me que precisávamos de bombear bolas. Teve que entrar, fez o sacrifício pela equipa”

Despedimento coletivo

“É uma coisa que me ultrapassa. Queria deixar um abraço a toda a gente, principalmente ao Paulo Cintrão, que esteve aqui ao meu lado, faço-o através de vocês, já o fiz por mensagem. A vida é mesmo assim, o futebol é mesmo a isso. Para os jogadores faz parte este entra e sai de pessoas dos clubes”

Rio Ave e Geraldes

“Teve duas maneiras de jogar, uma com o Paços, sempre com uma saída a três, o Mane muito encostado à linha, o Geraldes e o Dala a combinarem bem, conhecem bem o Sporting, vão estar motivados. Principalmente o Geraldes, que gosta destes jogos. O Ivo Pinto é um lateral com muita projeção. É uma equipa sem grande responsabilidades e eu já passei por um clube, o Belenenses, em fases assim, que não têm uma responsabilidade grande nestes jogos. Se ganharmos ficamos com os quatro pontos de avanço, se formos com quatro pontos de avanço vamos para uma Taça da Liga, parece-me a mim, com uma moral, é sempre bom, mais confortável. Jogo difícil, mas temos muito a ganhar”